Irreligiosos

Se você não sabe, aceita e não questiona, embota-se e acaba virando crente.

Qual a opinião de cada um? Quais as razões dessa opinião? Qual a relação entre a hipnose e o espiritismo? Gostaria de desenvolver esse debate porque, possivelmente, esse será tema do meu próximo vídeo, e assim a opinião de vocês seria muito importante.
Abçs 

Exibições: 12402

Responder esta

Respostas a este tópico

Não tenho muitas duvidas a respeito de espiritos..."EU NÃO ACREDITO EM ESPIRITOS" e não acreditaria em nenhuma estorinha de almas e cemiterios,pois nos ateus já desvendamos varias farsas sobre deus e de fato não acreditamos em deus e se deus criou o homem, criou tambem o espirito e se deus não existe então espiritos não existem....
vou colocar um textinho ai...não é muito util mais eu achei interessante.....
/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
Médiuns famosas admitem, espíritos não existem!

IRMÃS FOX, AS “MESSIAS” – RETRATARAM-SE! As “messias” do Espiritismo, após 40 anos de exibicionismo e “apostolado” espírita, por fim, cheias de remorsos de consciência fizeram plena retratação pública de sua “fé no coração”. Primeiro Margaret Fox (viúva Kane) no “New York Herald” de 24 de setembro de 1888. Depois Cathy Fox (viúva Jencken) no mesmo jornal um mês mais tarde, a 10 de outubro. E ainda, as duas juntas, numa solene demonstração perante numerosa assembléia, no grande auditório da Academia de Música de Nova York, na noite de 21 de outubro de 1888. Foi publicado com grande escândalo pelos jornais no dia seguinte, como o “The World”, o “New York Tribune” e o próprio “New York Herald”. Sob o título em letras garrafais “afamada médium diz que os espíritos nunca voltam”, o “New York Herald” reproduz palavras textuais de Margaret Fox ao Diretor do Jornal: “O Espiritismo é uma maldição (...). Seja qual for o ponto de vista sob que se considere, o Espiritismo é, foi e será sempre uma maldição (...). Procurei explorar o desconhecido tanto quanto aos humanos é dado. Visitei os mortos para ver se eles podiam dar-me alguma lembrança. Nada, nada consegui, absolutamente nada (...). Procurei obter algum sinal, mas sem resultado”. (“New York Herald”, 24 de setembro de 1888 – DAVENPORT, Reuben Briggs: “The Death-blow to Spiritualism. Beiing the True Story of the Fox Sisters, as Revealed bay Authority of Margaret Fox Kane and Catherine Fox Jencken, [1.ª edição, New York, C.W. Dillingham, 1888], reimpressão New York, Arno Press, 1976, pp. 30 s. e 37). (QUEVEDO S.J., Oscar G.-: “Palavra de Iahweh”, 1.ª edição, São Paulo, Loyola, 1993, p. 168 s., volume 5 de “Os Mortos Interferem no Mundo?”).
Acreditar em espíritos iria contra tudo que não acredito. Acho que espirítos foram criados para explicar alguns distúrbios nas mentes das pessoas. Não acredito em espíritos, fantasmas, almas penadas e nada que seja sobrenatural.
Bem... Até aqui concordo plenamente com vocês e esse será a base do tema que eu pretendo filmar. Vamos adiante. Antes de acreditar em deus eu acreditava em espíritos pelas coisas que eu via (meus 20 anos). Muita gente deve ter seguido esse caminho. Entender o assunto ajuda a desacreditar em deuses também. Valeu.


Bruno Soares Pereira disse:
Acreditar em espíritos iria contra tudo que não acredito. Acho que espirítos foram criados para explicar alguns distúrbios nas mentes das pessoas. Não acredito em espíritos, fantasmas, almas penadas e nada que seja sobrenatural.

Prazer em vê-lo por aqui Bruno.

Oi Talyta.

É isso aí... Mas aparição de espíritos eu nunca vi. Já vi seres humanos agindo de modo estranho, mas não vi nenhum espírito. A palavra fenômeno é bem colocada, mas eu usei distúrbios, considerando as aberrações incontroláveis
que você presencia nesses Centros Espíritas, que fogem da hipnose simples.
Hipnose eu considero fenômeno. Além disso, e eu acho que existe algo mais além,
dentro do âmbito natural, que eu considero distúrbio mental, como o estado de loucura
e alucinações, por exemplo. Milagres, salvo os de ordem psíquica (curas que
chamam de milagrosas) não existem. Sonhos são relaxamentos da mente, que
vagueiam pela memória, nada de mais. Acredito, como você, que ainda estamos
engatinhando nessas questões, mas descarto qualquer coisa semelhante a
espíritos e almas. Bjs.

Talyta.

Eu tive uma excepcional experiência na minha vida, quando ainda era religioso. Eu dialoguei com deus (???). Uma coisa tão fantástica, que foi necessário total domínio e lucidez da razão para não cair na armadilha. Assim foi bom para mim, porque eu sei o que pode acontecer com qualquer um, e 99% ficariam escravos do Senhor dos Exércitos... Consigo assim, compreender o meu
semelhante fanático.

Se você quiser detalhes leia “ATEU GRAÇAS A DEUS” de minha autoria. Vale à pena conhecer isso.

 

http://www.4shared.com/dir/5953857/5e7f442c/sharing.html

É muito fácil e rápido, porque o link vai direto na minha página.

 

A nossa mente é traiçoeira, e preocupa-se apenas em atender as nossas necessidades e evitar o sofrimento, mesmo que seja através de um estupro ou o seu suicídio. Deu pra entender isso? A gente vê e ouve o
que a nossa mente (sub-consciente instintivo) autônoma, quer.

É uma longa história.

Bjs

Pois é Danilo.

Lidar com essas verdades é quase impossível para muitos, porque o espiritismo está muito camuflado e fica difícil a compreensão. 

Quando eu era jovem escutei do meu pai, certa vez, que o espírito do médium "tal" tinha tanto poder que ele faria você sentar-se apenas segurando a sua mão. O meu pai não conhecia a hipnose certamente. E eu acreditei nisso por muitos anos, até que resolvi investigar. Eu vi muita coisa, aparentemente com uma única explicação baseada no espíritismo. Custei para entender as coisas produzidas no nosso cérebro fantástico e todos os tipos de distúrbios que ele produz. A hipnose deu um grande apoio nesse raciocínio, porém existe ainda algo mais além. São centenas de distúrbios mentais, cada um com sua característica específica e complexa, mas tudo apenas físico-mental. Eu entendo isso porém é muito difícil explicar. Esse é o simples fato que ainda está bloqueando minha intenção de fazer o vídeo sobre o espiritismo "Espíritos não existem". A dificuldade de explicar tudo isso em 10 minutos ou mesmo 30 minutos em três vídeos.

Abçs



Danilo Sbrissia disse:

Não acredito em espíritos. Grosso modo, o que diz a mitologia espírita?

Existem espíritos elevados e espíritos baixos. Os baixos, por algum motivo, não conseguiram se desvencilhar da matéria e pululam na terra, perturbando, atormentando e obcecando as pessoas; os elevados limitam-se, através dos médiuns, a "educar-nos" com mensagens de "conforto" e resignação, sobretudo resignação. "Não murmure" é a palavra de ordem.

Se são tão elevados assim, por que não adotam medidas profiláticas eficazes para combater a ação nefasta dos espíritos baixos? Impotência? Alguma proibição divina nesse sentido?

Com o espiritismo acontece o mesmo que ocorre com as escrituras consideradas sagradas. Assim como não há Deus ou Jesus fora da bíblia hebraica, nem Krishna ou Shiva fora do Mahabharata, nem Alá fora do Corão, espíritos só existem na literatura espírita.

 

ESPÍRITOS.

 

Dizem os kardecistas  que os espíritos das pessoas que morreram podem estar entre nós. Eles acreditam que estas almas desligadas do corpo material têm livre  acesso ao nosso cotidiano, ou seja, eles podem estar ao nosso lado o tempo todo. Eu não sei se isso é verdade  ou  não,  mas faço aqui  uma observação sobre o  assunto, nós humanos temos cinco sentidos para nos comunicarmos com  nosso meio, temos o olfato para  sentir os odores, esses  odores  mais popularmente chamados de cheiros, eles são totalmente invisíveis, nós não podemos vê-lo, mas o olfato é especializado em sentir todo e qualquer odor que estiver próximo a nós, este sentido pode até ser chamado de sensor que reconhece qualquer odor agradável ou desagradável. Temos o segundo sentido, o paladar que tem a capacidade de distinguir o  gosto, enfim o que é amargo, azedo ou doce, este reconhecimento se dá através do contato com a língua, pode-se dizer que é um sensor de toque. Temos a audição, com a qual podemos distinguir qualquer tipo de som, estes sons também como o odor é totalmente invisível, aos nossos olhos e claro, mesmo não tendo forma concreta para ser visto, nosso ouvido capta com facilidade qualquer som. Temos também o tato que podemos saber com o toque dos dedos se uma superfície e lisa ou áspera, podemos sentir a forma do objeto tocado, também este se parece com um sensor de toque  Por fim temos a visão, a meu ver o mais importante, porque permite nosso movimento pelo meio ambiente em que vivemos com total segurança, a visão pode-se dizer que é um sensor que capta imagens e as envia ao cérebro para o reconhecimento,  falando tanto em sensores até parece que nós humanos somos muito parecidos com robôs.

      Agora vem o porque destes comentários, nós estamos aptos a reconhecer qualquer coisa que tenha relação com nossos cinco sentidos, sejam elas visíveis ou invisíveis. O que os Kardecistas dizem sobre os espíritos estarem entre nós, não se pode duvidar disso totalmente, porque talvez nós não notamos a presença deles porque não temos um sentido especializado para vê-los ou senti-los. Para podermos entender isso é só fazermos uma analise das ondas do rádio, observem, nós estamos sentados em uma sala em nossa casa, o nosso aparelho de rádio está desligado neste momento, nós não estamos sentindo nada, mas as ondas de rádio, que foram enviadas pela emissora,  estão passando entre nós o tempo todo, mas nós não podemos vê-las, nem senti-las porque não temos um sensor que possa captá-las e transformá-las em sons audíveis,  mas se ligarmos o rádio  que tem seu receptor de ondas, imediatamente elas são captadas pelo aparelho que  as transformam em sons que imediatamente nosso ouvido pode captar. Voltando aos espíritos, se for verdade que os espíritos podem estar entre nós, se tivéssemos em nosso corpo um sensor ou seja um sentido especializado em captar espíritos nós poderíamos vê-los ou senti-los, sei que isso parece absurdo, mas eu não me atrevo a dizer que isso é impossível. Na minha vida eu aprendi por experiências que existem coisas que aparentam existir, e na verdade não existem, por outro lado existem coisas que acreditamos não existir, e no decorrer dos tempos  se prova que existem, diante destes fatos eu aprendi que não se pode acreditar em tudo e nem duvidar de nada.

 

Esta crônica foi extraída do livro, Crônicas, Indagações e Teorias, autor Paulo Luiz Mendonça .editora Scortecci.

 

 

 

 

 

Olá Paulo.

Existem vários sentidos que você não citou com os quais podemos ou não identificar esses espíritos.

Um deles é a inteligência. Outro o raciocínio. Outra a capacidade de análise, outro é a cultura. Outro é o bom senso, outro é a malícia e mais um, o desconfiômetro.

Colocados na devida ordem e usados para observar esses fenômenos você concluirá certamente pela MENTIRA.

 

Vá em frente. A receita está aí.

Abraços

Alfredo:

Honestamente, com relação a espíritos e, conseqüentemente, à teoria reencarnacionista, ainda não tenho convicção firmada e continuo estudando muito o assunto. Mas acho que ainda vou levar muitos meses antes de concluir. O que posso adiantar, segundo o meu ponto-de-vista, é que mesmo que fique comprovado a existência de espíritos e a reencarnação, isto nada tem a ver com deuses e religiões, sendo apenas mais um fenômeno físico natural ainda não compreendido inteiramente pelo homem, como tantos semelhantes.

De qualquer forma, e diante de alguns casos documentados (e inexplicados) de possíveis reencarnações eu ainda não teria coragem de escrever ou afirmar taxativamente ESPÍRITOS NÃO EXISTEM.

De lembrar que as palavras "espírito" e "alma" (existem diferenças e não são sinônims perfeitas) são apenas termos cunhados pelo homem para denominar uma manifestação de forma de energia desconhecida.

O mal das pessoas é tentar ligar tudo o que desconhecem ao campo religioso. E o fazem porque talvez a religião tenha sido mesmo criada para não explicar nada, ou melhor: para fingir que tem as respostas para o inexplicado pela ciência. Como não precisa provar nada, é fácil tirar qualquer ilação.

 

Alfredo tem razão, partilho do seu pensamento. O caso de espíritos se existirem realmente, é como diz o Alfredo eles não tem nada a ver com religião é uma ciência a parte, pelo que já pesquisei sobre reencarnação, ou a reencarnação existe ou o Deus pregado pelas religiões não existe, só que a existência da reencarnação também não tem nada a ver com religião se ela existir é uma coisa natural imposta pela evolução nada mais que isso. Paulo Luiz Mendonça.

Acho que espiritos ou manifestações dos mesmo são  que o condicionamento  cerebral. Como existem nos centros afros e nas igrejas petencostais e suas manifestações do " espirito santo como: Linguas estranhas ou a entrega de mensagens supostamente enviadas  por  deus.O maior exemplo disto é aquela frase de jesus ( vinde a mim as criancinhas)  Usando as crianças é o melhor caminho de condicionamento pra estás manifestações.

Responder à discussão

RSS

Sobre

Badge

Carregando...

Leia Isto!

Traduzir para/Translate to:


Visualizações

contador de visitas online

Se esta é a sua 1ª visita ou se passou por aqui, mas não quis comentar nem publicar nada, assine o nosso livro de visitas!

Irreligiosos.ning.com website reputation

Recados Rápidos

 

 

Links Indicados

Sites da Rede DDD: . . . . . . .Logo Rede DDD Acessar links dos sites Baú do Inexplicado Outros:
visit Skeptic.com

Sociedade Racionalista

ComunidadeO Outro Lado das ReligiõesBULE VOADORInternet Infidels Visitar o Observatório

GeraLinks

Badges do Irreligiosos

Nosso badge no seu blog:

Link o Irreligiosos


(Clique aqui para saber como!)


Enquete Jesus Cristo


Sua opinião sobre Jesus Cristo:
Acesse o post de apoio;

----------------
Acesse a nossa página PESQ para responder à enquete.

 


Notícias Cristãs

Atenção: As notícias aqui divulgadas não são nossas recomendações e são veiculadas apenas para informar os últimos acontecimentos e eventos do cristianismo.

(Se a exibição falhar, não é culpa nossa e sim do Widget. Não se preocupem, elas voltam depois)

Por Gospel+ - Gospel+ Noticias

Grupos

Principais Colaboradores

Abaixo, destacamos (em ordem alfabética) a 4ª lista dos nossos  mais eminentes e constantes colaboradores:

  • Alfredo Bernacchi
  • Assis Utsch
  • Carlos Dosivan
  • Divina J. Scarpim
  • Erijosé Oliveira
  • Gilberto Vieira
  • Jorge O. Almeida
  • Luísa L.
  • Márcia Zaros
  • Marilda Oliveira
  • Oiced Mocam
  • Paulo Luiz  
  • Paulo Rosas 
  • Rafael Rocha
  • Sergio M. Rangel

© 2017   Criado por Ivo S. G. Reis.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço