Irreligiosos

Se você não sabe, aceita e não questiona, embota-se e acaba virando crente.

Ateus possuem algumas propostas para tornar um mundo melhor sem a religião?

ATENÇÃO!: Este tópico teve uma excelente aceitação, mas atingiu o limite de 680 respostas, que julgamos acima do razoável, para efeito de consultas e novas respostas. Assim, conquanto não fechemos o debate, solicitamos aos colegas que, doravante, adotem o seguinte procedimento: 1) Leiam abaixo a descrição da discussão, mas evitem dar as respostas aqui; 2) naveguem para a discussão "POR QUE AS PESSOAS SÃO LEVADAS AO ATEÍSMO E À IRRELIGIOSIDADE?" (clique aqui!) e deixem lá suas respostas, já que o novo tema é uma continuidade deste e resume os principais conceitos que se destacaram nas respostas, acrescentando outros.

NA:  O Irreligiosos, como é do conhecimento de todos, é um site de orientação antiteísta e antirreligiosa, filosofia esta, que procura deixar bastante clara, para que todos os postulantes a membros de nossa comunidade não aleguem depois que se filiaram ao site errado, comprando "gato por lebre". Mesmo assim, embora mais de 90% de nossa comunidade compartilhem com esta filosofia, permitimos a filiação de alguns religiosos que aqui vêm em busca de conhecimento ou para participar de debates que possam esclarecer suas dúvidas e, quem sabe, ajudá-los a definir um outro rumo para suas vidas. Mas, para tanto, precisamos permitir que eles opinem e que coloquem os seus questionamentos para os demais membros responderem e/ou debaterem, por mais estranhos e absurdos que possam parecer.

Tal é o caso da discussão abaixo (que deveria ser um único tópico, mas que o autor, crente evangélico, equivocadamente, transformou em uma "lista de perguntas"). Para facilitar, numerei as perguntas para que os membros possam escolher quais delas desejam responder. Pelo visto, o autor da discussão andou frequentando vários sites ateus e não se sentiu satisfeito com as respostas. Acho que no nosso não será diferente, por razões óbvias. Segue a "discussão" (???):

Já participei e ainda participo de alguns dos sites ateus abaixo:

http://realidade.org/forum/index.php

http://ateus.net/forum/

http://clubecetico.org/forum/index.php

http://ateusdobrasil.com.br/

http://irreligiosos.ning.com/

http://religiaoeveneno.org/categories/inicio

1 - Gostaria de saber mesmo se ateus têm alguma boa proposta para tornar um mundo melhor?

2 - Por que ateus são contra a religiosidade se ela traz alguns benefícios a sociedade?

3 - Por que alguns ateus querem acabar com a religião?

4 - Por que alguns ateus odeiam os protestantes mais que qualquer outra religião?

5 - Por que ateus costumam ironizar os crentes nos debates em fóruns ateus?

6 - A religião atrapalha os planos ateístas?

7 - Qual o propósito dos ateus de tornar um mundo melhor sem a religião?

8 - Ateus pensam numa sociedade melhor ou apenas querem demonstrar suas revoltas?

9 - Ateus estão numa missão de paz ou são apenas um grupo para favorecer interesse de alguns políticos?

10 - O que é o ateísmo?

11 - Para que serve?

12 - Qual o exemplo que ateus possuem de bom para favorecer uma sociedade?

13 - O que realmente ateus querem?

14 - Ateus querem apenas mostrar sua revolta contra Deus, contra uma sociedade corrupta ou querem tomar conta de algum cargo político para mudar o país como fizeram alguns grupos radicais islâmicos?

15 - Algum ateu pode passar estas informações?

Vamos ao debate.

 

Exibições: 9289

Responder esta

Respostas a este tópico

Erijosé:

Vou ser o primeiro a responder para tentar estimular aos demais. Antes, porém, devo dizer que todas as suas perguntas já estão respondidas, sem exceção. Basta percorrer o site e encontrá-las nos blogs e demais discussões, além dos vídeos. Você ao menos tentou fazer isto?

Antes de responder -lhe, recomendo o vídeo "Ateus e Cristãos Célebres - Biografias Comparadas", publicado ontem, aqui no irreligiosos (Clique aqui para assistir!). O vídeo não se atém apenas a comparar biografias, mas tenta explicar as diferenças entre os objetivos dos religiosos e antiteístas, tecendo algumas considerações sobre os supostos propósitos das religiões, demonstrando a sua inutilidade para os chamados "bons propósitos" e a sua (aí sim) utilidade para os "maus propósitos".

Aliás, por falar em (in)utilidade das religiões, destaco esse pensamento simples, mas magistral, do grande filósofo Sêneca:

"A religião é vista pelas pessoas comuns como verdadeira, pelos inteligentes como falsa, pelos governantes como útil" . (Sêneca, filósofo romano, estóico)

Agora, vamos às minhas respostas, bastante sintetizadas e divididas em grupos, já que você formulou 15 perguntas, a maioria delas entrelaçadas de tal sorte que a resposta de uma ou algumas respondem às demais:

I - Respostas às questões 1,2,3,6,7,8,9,11,13,14:

Tudo se resume em acreditarmos que a humanidade viveria muito melhor se não existissem as religiões para enganar e subjugar as pessoas, tornando-as presas fáceis dos donos do mudo, dos oportunistas, dos charlatões e políticos (analise a frase de Sêneca, citada acima).  A seguir, pesquise, constate e reflita que os países mais irreligiosos do mundo são também os mais desenvolvidos. Por que será?

II - Respostas às questões 4,5, 6 e 14:

Ateístas não têm nenhum "plano de poder" (aliás, título do livro do "bispo" Edir Macedo). Não pretendemos dominar o mundo, nem almejamos governar o país e muito menos ocupar cargos políticos, ao contrário dos religiosos, que anseiam por isso, tendo até uma forte "bancada evangélica" no Congresso, a 4ª mais forte. Você já ouviu falar em "bancada ateísta"? Tudo o que queremos é um país melhor para viver, com melhor IDH, livre da ignorância que tanto atrasa o desenvolvimento de uma nação. Nesse sentido, a religião é cúmplice de tudo o que é retrógrado e prejudicial. Por isso, combatemos sim as religiões.

Ateus não "odeiam" crentes protestantes. Apenas consideramos que eles, pela sua ignorância e radicalismo, são um atrapalho às nossas aspirações por um mundo melhor. Quanto a ironizá-los, às vezes isto é inevitável, quando eles insistem em suas crenças malucas como, por exemplo, acreditar na "Arca de Noé", na criação do mundo por Deus, na ressurreição de Cristo, etc, etc.

III - Resposta à questão 10:

O que é o ateísmo?!!! Esta recusamo-nos a responder porque a leitura do tópico em que isto foi explicado foi recomendada a todos os membros quando se filiaram.

IV - Resposta à questão 12:

Veja o vídeo recomendado na introdução a este comentário!

V - Resposta à questão 15

É o que estamos fazendo respondendo a este tópico e em todas as matérias postadas nesta rede, pelos autênticos irreligiosos.

Pronto! Aí estão, de forma descomplicada e resumida, as minhas respostas. Mas outros colegas, se desejarem, poderão também dar as suas. Espero que sejam de alguma valia para você, apesar de não acreditar muito nisso porque vão de encontro ao que você desejaria ouvir.

Em tempo: Leia também o artigo que acabei de postar (Países Menos Religiosos São Também os Menos Violentos e de Melhor IDH). Acho que ele responde algumas das suas perguntas.

Saudações Irreligiosas!

Eu estive analisando as questões de uma forma em geral e por isto demorei a postar.

Algumas pessoas afirmam que o mundo sem religião seria melhor, mas aí eu me pergunto: Será que a igreja é a causa da violência no mundo?

Quantas pessoas se dizem religiosa, mas só vão a igreja quando querem?

Quantas outras afirmam ter religião por tradição dos pais, mas nunca foram a uma igreja a não ser quando são convidados a um batismo ou casamento familiar?

Quantas pessoas se dizem religiosos, mas nem querem saber de ir uma igreja?

Quantas pessoas dizem ter religião, professam que Deus existe, mas quando alguém para falar de religião eles mudam de assunto ou se retiram?

Quantas pessoas dizem acreditar em Deus, mas trocam a igreja para ir a um futebol, samba, pagode, restaurante, fank, bordel, praia etc..., mas quando falam em igreja elas não estão nem aí?

Porque a religião seria a causa da maior violência se a grande maioria das pessoas está mais fora do que dentro das igrejas?

Bem, Erijosé, eu já respondi às 10 perguntas da discussão. Agora estas suas novas 7 perguntas são de cunho subjetivo e filosófico e todas as respostas que se tentasse dar a elas seriam visões pessoais e, portanto, relativas. Sobre estas, a melhor pessoa para responder é você mesmo.

Mesmo assim, vou tentar - não, responder, mas corrigir algumas colocações que você fez em relação ao que pensamos: de fato, estamos convencidos de que o mundo sem religião seria melhor, mas não dissemos que a religião é a causa da violência no mundo e sim, que ela não evita essa violência e às vezes é também a causadora dessa violência. Se países existem onde apenas 10% das pessoas são religiosas e nesses países impera a paz, a felicidade, a melhor qualidade de vida e o grande progresso econômico, é porque fica provado que não é a religião que torna as pessoas mais felizes e melhores. 

Por outro lado, conquanto existam muitos religiosos, crentes em Deus e Cristo ou outros deuses, pessoas que não frequentam suas igrejas, isto não significa que não tenham suas crenças religiosas e sim que creem sem serem praticantes ou sendo praticantes apenas eventuais. Mas o que você me diz daquelas outras milhões de pessoas que lotam os templos evangélicos e as igrejas católicas? Acha que são poucas? 

Religião é atraso cultural e escravidão meeeeesmo. Talvez as pessoas que trocam a igreja pelo campo de futebol ou por um bom pagode sejam as que estejam certas. Por que achar que os religiosos sejam os donos da verdade e que todos têm de ser iguais a eles?Já pensou nisso?

Eu só fiz uma colocação para evidenciar que as notícias violentas estão mais fora da igreja do que dentro delas. Leia os noticiários de revistas, televisões, rádios e comprovará isto. Se tiver algum caso de violência cometido dentro da igreja é 1% em relação ao que acontece fora dela. De vez em quando é que se vê notícias de um caso ocorrendo cristãos.

 

Se a causa de violência do mundo não é igreja quem seria então?

 

A ciencia ao invés de gastar estes milhões de dólares em armamento, aviões de guerras e bombas nucleares deveriam apostar nos seres humanos e tornar um mundo melhor. Não acha?

 

Os que estão dentro das igrejas também não são poucas, mas se fizer um contraste da violência ela está fora dos templos religiosos.

 

Na segunda feira ao ligar a televisão só vemos assassinatos, guerras, brigas, invejas, ciúmes que levam a morte, fofoca, falta de respeito e etc...

 

Quantos dão testemunhos que melhoraram as suas vidas. Este vídeo que você me passou tem exemplo de um cara que era satanista, viva na prostituição, cheirava crack e hoje estava na igreja.

 

A igreja tira as pessoas da violência e é menos um no mundo para torná-lo melhor. Não acha?

 

E se em outros países a violência é menor sem a religião é um caso a estudar. Países religiosos que nem o Brasil acabar com a religião de um dia para a noite e quase que impossível. Em outros países dependendo da sua renda per capta, extensão geográfica muito influi para tornar um país melhor, mas mesmo assim nestes países existe violência.

 

Cada caso é um caso e se a igreja não acaba totalmente com a violência em países mais ateus que religiosos também não acabam com a violência. E aí como fica?

 

 

A respeito da pergunta do Tópico:

Basta eliminar a religião!... Não precisa mais do que isso. Todas as demais coisas necessárias já existem. No máximo pode ser aprimoradas, mas com a religião isso se torna muito difícil!...

Veja o texto acima do Erijosé:

Quando você dá um exemplo do trabalho de pacificação da religião, você parte sempre da escória da sociedade!

Por que o Erijosé não parte de um cidadão normal, que estuda trabalha constitui família etc. Dos ateus por exemplo!... Os ateus são esses que "satanista, viva na prostituição, cheirava crack" ? Por que você não exemplifica os ateus da Suécia, da Dinamarca, da Coreia do Sul, onde o ateísmo ultrapassa os 70% da população?!... A China, um país ateu, será em breve, a maior economia do mundo! Lá não existe esse trabalho religioso que você mencionou! Porque não é necessário! O próprio governo cuida disso! Mas você menciona um país onde 90% são religiosos como exemplo! Não existe algo errado no seu raciocínio? Abç

Agora, gostaria de responder às questões propostas no início:

1 - Gostaria de saber mesmo se ateus têm alguma boa proposta para tornar um mundo melhor?

R - Sim... Erradicar a religião.

2 - Por que ateus são contra a religiosidade se ela traz alguns benefícios a sociedade?

R _ Traz muito mais malefícios do que benefícios. Razão de 9 pra 1.  Se quiser posso enumerar. Acho que consigo uns 50 pra 1.

3 - Por que alguns ateus querem acabar com a religião?

R - A resposta está acima A religião traz muito mais malefícios do que benefícios.

4 - Por que alguns ateus odeiam os protestantes mais que qualquer outra religião?

R - Isso não existe!... Eu como ateu militante, não odeio os protestantes que são vítimas. tenho muita pena deles. Entretanto, tenho um desprezo, um nojo verdadeiro, uma repugnância radical, pelos líderes religiosos, desde aiatolás, padres, rabinos até pastores.

5 - Por que ateus costumam ironizar os crentes nos debates em fóruns ateus?

R - Porque crentes são muito bobos!... É quase um buling que a gente faz com eles, Chega a dar raiva da burrice deles, mas no fundo eu sei que eles (como seres humanos) não têm culpa. Muitos são até (+-) inteligentes  Estão sob transe hipnótico, com a mente lavada pelos seus líderes nojentos.

6 - A religião atrapalha os planos ateístas?

R - O plano ateísta é acabar com a religião, para salvar o mundo dessa corja de safados. Daí. tem tudo a ver...

7 - Qual o propósito dos ateus de tornar um mundo melhor sem a religião?

R - É tornar o mundo melhor.

8 - Ateus pensam numa sociedade melhor ou apenas querem demonstrar suas revoltas?

R - Ateus pensam num mundo melhor. Mas é revoltante ver como os líderes religiosos exploram os bobinhos crentes.

9 - Ateus estão numa missão de paz ou são apenas um grupo para favorecer interesse de alguns políticos?

R - Ateus vivem por si só. são apenas altruístas que querem levar o bem estar ao povo, o progresso, o poder, a saúde verdadeira, a paz, o amor pelo seu semelhante, a amizade e o amor entre os homens acima de tudo.

10 - O que é o ateísmo?

R - É uma consequência da incredulidade em deuses. 

11 - Para que serve?

R - Quando o ateu fica livre da dependência religiosa, descobre um mundo novo, maravilhoso, e quer repartir essa descoberta com todos os seus amigos que ainda são religiosos e vivem nessa escravidão mental. São capazes das maiores atrocidades pela religião, até se explodir, como os islâmicos. Ateus servem para libertar os religiosos, dessa dependência desprezível, perniciosa e maléfica.

12 - Qual o exemplo que ateus possuem de bom para favorecer uma sociedade?

R - Conheça o ateísmo, conheça os ateus e você terá essa certeza. pode conhecer a mim mesmo! Eu sou um exemplo do ateu e me coloco a disposição. Conheça a minha vida, investigue a minha vida e você saberá como é que funciona.

13 - O que realmente ateus querem?

R- Querem viver em paz, viver bem, fazer amigos, aproveitar a vida, ser feliz, plantar árvores, escrever livros, ensinar o que é bom, fazer filhos e ajudar os seus amigos religiosos a encontrarem esse mesmo caminho.

14 - Ateus querem apenas mostrar sua revolta contra Deus, contra uma sociedade corrupta ou querem tomar conta de algum cargo político para mudar o país como fizeram alguns grupos radicais islâmicos?

R - Ateus não acreditam em deus. não tem como serem revoltados contra deus. Ateus querem o que eu respondi acima.

15 - Algum ateu pode passar estas informações?

R - todas as que você quiser...

abç

A CRENÇA RELIGIOSA faz as pessoas se comportarem melhor?

A opinião de, Oiced Mocam, inspirado pelos Irreligiosos e foristas!

Os cristãos gostam muito de dizer, 'quem não tem deus no coração é capaz de fazer tudo'.  Ledo engano, o deles. A moralidade existe independentemente da religião, e se você só deixa de fazer coisas erradas porque é temente a deus (porque teme a ira dele e crê que sendo bom receberá uma recompensa); a bem da verdade você não é bom ou justo. Você é desinformado, hipócrita ou vendido.

Existem ateus canalhas, assim como existem religiosos canalhas. Do mesmo existem ateus bons e religiosos bons. A religiosidade ou a não-crença não tornam a pessoa boa ou má. E a aliança perfeita da humanidade seria aquela em que o ser humano se comprometesse a tentar ser o melhor que puder, independente do julgamento alheio ou da existência ou não de Deuses.

O argumento de que a crença em religião as pessoas melhoram ou são melhores ou ajuda a civilizar a sociedade costuma ser apresentado, quando as pessoas já esgotaram suas justificativas. Acho que a única diferença é que os crédulos colocam ética, valores e comportamento nas mãos de um suposto Deus e nas escrituras sagradas e do que os homens criaram e inventaram em nome Dele. Tudo que não conseguem solucionar por meio da razão, como problemas afetivos, relações conturbadas, doenças, dificuldades financeiras (com “promessas” de soluções). É um absurdo que hoje em dia ainda existam pregadores que dizem ouvir coisas de Deus e prometem a cura de doenças a pessoas desesperadas. O pior é ver gente sem informação, sem contestação nenhuma, acreditando. E ver isso se alastrar como uma pandemia é desesperador.

O fato de um indivíduo freqüentar uma igreja, sinagoga, templo ou mesquita não o torna melhor embora tente ser melhor. É óbvio que os crentes não são todos iguais e que a ideia de Deus não é a mesma para todos. Temos os fundamentalistas, que procuram convencer os outros a  acreditar (crê ou morre). E aqueles que fazem da crença o fato de suas vidas, impregnados por uma graça divina, sem ser necessariamente mediada por raciocínio. E existem os que acreditam apenas por vias das dúvidas, assim como acreditam nos pais, nos amigos, nos filhos, no guru ou no cônjuge e em horóscopos.

Há boas razões para acreditar que no passado os ensinamentos tiveram seus propósitos em acreditar em Zeus,Thor,  Odin, Cronos, Javé, Brahma, Jesus e Maomé e os ensinamentos deles e de outros líderes religiosos que se ocuparam cuidando do desespero humano. Muitas pessoas se sentiram confortáveis com esses ensinamentos nas suas vidas. É inegável que muitas pessoas de fé fazem filantropia e sacrifícios heróicos para aliviar o sofrimento de outros seres humanos. Mas não podemos permitir essa confusão mental em nossa sociedade, esse apego imaginário a um Deus pessoal “placebo” e do Paraíso. Prova temos: o mal e o sofrimento no mundo e que nem os milhares de padres pedófilos atenderam esses apelos atribuídos a Jesus. Lembram,  do fato das indenizações bilionárias pagas pela igreja  católica envolvendo abuso sexual, enfim todos os escândalos envolvendo igrejas no país e no exterior? Isso não é em nada semelhante aos ensinamentos que buscaram em Cristo e dos grandes mártires. Genocídios na África e Europa e  guerras ao longo da história humana?  Somente na 1ª Guerra Mundial foram 13 milhões de mortos, Qualquer ramo dessas religiões pode ser orgulhar do seu passado e presente ?

Se as religiões dissessem: muito bem ! Nós paramos de insistir no Sermão da Montanha, Êxodo, na gravidez de Maria pelo Espírito Santo, na Imaculada Conceição, no Gênesis (copiada de outras tradições), no Dilúvio (que não passa de lenda e mito), nos “milagres”, na morte e na “ressurreição” de Cristo e sua divindade ou no “vôo noturno” de Meca a Jerusalém, de que os livros sagrados não foram escritos pela palavra inspirada por Deus,  na existência do carma.

Lembra,  da passagem em que um faraó egípcio manda matar todos os bebês dos hebreus porque recebeu um alerta de que nasceria dali o próximo rei?

Pois veja isso: “Conta a tradição védica que Hamsa, temendo que Vishnu nascesse em qualquer uma das famílias do reino, mandou matar todos os meninos com até dois anos de idade, a fim de evitar o cumprimento da profecia.” Essa é a lenda sobre o nascimento de Krishna, avatar de Vishnu, o segundo deus na trindade hindu.

Será que os hinduístas nunca ouviram falar de direitos autorais?

Basta pesquisar um pouco sobre o Mazdeísmo e entenderá porque historiadores o consideram como religião fundadora das três gigantes monoteístas.

A História Começa na Suméria (“History begins at Sumer”). Ele determinou com bom humor , nada menos que vinte e sete “First” (primícias), coisas, experiências ou acontecimentos, que na História humana foram apontados pela primeira vez por esse povo. Leia em:

http://livrodeusexiste.blogspot.com/2010/05/capitulo-36-povos-da-an...

MAS ONDE ESTARIAM AS PESSOAS SEM FÉ?  Elas não se entregariam a todo tipo de licenciosidade e egoísmo ?

Debater religião também não deveria ser um tabu. Muitos são os religiosos abertos a debate, desde que saudável e cordial. A religião parece viver enclausurada e protegida sob uma redoma de cristal frágil, prestes a se quebrar em mil pedaços. A analogia se encaixa perfeitamente no contexto.

Nós ateus não somos odiosos, não queremos banir as pessoas religiosas da sociedade, não pretendemos instaurar uma “ateocracia”. Apenas queremos ter o direito de questionar os dogmas e os impropérios da religião de forma racional e crítica. Apenas queremos ter o direito de expressar o nosso ateísmo livremente, sem estereótipos. Ateus não são demônios, não comem criancinhas, não são perversos, nem malignos. Nós somos de fato, “livres pensadores”, “céticos”, “irreligiosos”. Somos libertários e apenas queremos um Estado Laico  igualdade para todos.

MAS SERÁ É QUE NECESSÁRIO ACREDITAR EM QUALQUER COISA que já foi ou será inventada, sem ter provas suficientes, para agir dessa maneira?

A primeira coisa a dizer  é que o comportamento de um crente não é de modo algum prova – de fato, não é sequer argumento da verdade de sua crença e de religiosidade . Cumprir dogmas emprestados não é ser religioso. Dizer que só os homens que professam tal fé e que freqüentam tal templo, terão a salvação de suas “almas” e terão paz ao morrerem. Que absurdo ! O  cristão é pecador, por causa do pecado hereditário?  Não importa quão religiosa a pessoa seja, quão honesta, trabalhadora ou solidária, haverá sempre momentos em que a natureza irá fazer a pessoa voltar ao seu estado primitivo. Vivemos lutando contra este instinto animal que reside dentro de cada um de nós. Alguns conseguem reprimir com mais facilidade estas reações, outros nem tanto. Os momentos de rara lucidez, em que conseguimos viver racionalmente, quase sempre é ofuscado pelas tempestades de raiva, inveja, ganância, arrogância, impaciência que nos domina, mesmo inconscientemente. Estamos diariamente numa batalha feroz para tentar, a todo custo, dominar nossos demônios internos. Com freqüência fracassamos. Os sentimentos bons são os mais difíceis de serem expressados, por isso eles necessitam de um esforço constante. Porém, os maus sentimentos afloram da nossa alma como brasa da fogueira. Dizer a uma pessoa Eu te Amo é difícil, mas os palavrões e insultos saem da nossa boca até sem percebermos

Todos sabemos que os Estados Unidos é um país e uma democracia  com altos índices de religiosidade e adesão à religião; e também o que mais sofre com altos índices de violência , doenças sexualmente transmissíveis e homicídios. Já países com sociedades menos religiosas e altos índices de ateísmo da Terra, como: Austrália, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Holanda, Islândia, Japão, Noruega, Reino Unido, China, Suécia, Suíça, são os países mais saudáveis e desenvolvidos e com menores taxas de violência.

A fé religiosa, não fanática até pode ser benigna no nível pessoal. Mas, no plano coletivo, quando se trata de governos não capazes de garantir a saúde a sociedade e capazes de fazer guerras, a fé é um desastre absoluto. Tomar conhecimento de fatos históricos irão nos dar mais embasamento para poder defender um ponto de vista. Ignorá-los é sinal de que se acredita em algo ou alguém por acreditar. Porque alguém lhe disse que assim deve ser. Cada uma tem os seus pontos positivos e negativos. Basta que você se sinta mais a vontade com uma e pronto. Faça a sua parte. Exemplo,  a excessiva religiosidade conservadora  fundamentalista do ex-governo Bush e dos islâmicos. E o que sabemos com certeza, aqui e agora, é que nem a Bíblia nem o Corão trazem melhor compreensão da moral e da paz no Universo.

http://livrodeusexiste.blogspot.com/2010/10/capitulo55-guerras-em-n...

Muitas dessas raízes, que passaram por interpretações de homens , doutores hagiógrafos e copistas  de uma certa forma da judaica à cristã, receberam a “inspiração divina” de tudo aquilo e só aquilo que Ele quisesse. Acabaram sendo adotadas pelo Islamismo e por razões  políticas se transformaram em crença oficial, numa forma final codificada autoritária e obrigatória e também cheia de contradições. Onde até o Código de Hamurábi, e filósofos da Antiga Babilônia com seus poemas e lendas, papiros egípcios e filósofos da Grécia, foram fontes de inspirações. Tornaram-se ideologia estabelecida e promulgada por imposição bem sucedida, adotada por dinastias e governantes como lei na Terra.

Poderíamos ser devotos de uma crença inteiramente diferente, talvez hindu, budista, xintoísta, e nesse caso ainda nos seria dito que, sendo ou não verdade, ela ainda assim ajudaria a ensinar às crianças a diferença entre certo  e errado, mas de forma equivocada. Em outras palavras, acreditar em um Deus, anjos, libertação, submissão, castigo, bênçãos, imortalidade, inferno, demônio, purgatório, céu e paraíso é de certa forma exprimir exatamente a disposição de acreditar em qualquer coisa, porém de modo algum rejeitar a crença é expressar a crença em nada. Atos de caridade e honestidade podem ser igualmente praticados por pessoas sem qualquer fé. Os homens as crianças, não podem ser manipuladas através de estúpidas estratégias infantis.

 Enquanto houver um deus, o homem não pode estar em paz. Deus é que está dividindo o homem. Ele é o inimigo supremo da humanidade; de outra forma qual a diferença entre um hindu e um muçulmano, entre um cristão e um judeu? Apenas sua ideia de Deus certo e o outro falso.  E essa ideia  não é nada mais que uma ideia, apenas uma hipótese vazia. Deus não deveria ser uma questão de argumentos. O Deus cristão, criador criou muita confusão mental e absurdos. Não há Deus em lugar algum, não há evidência em lugar algum, não há nenhuma prova. E se alguém lhe disser que viu Deus, Jesus ou Alah. Ele é simplesmente um homem louco, iludido e está tendo alucinações e precisa de tratamento psiquiátrico. Se existe um ser superior que dirige os nossos destinos, certamente não passaria no teste psicotécnico.  Se tivéssemos tratado os nossos santos através de psiquiatria, a humanidade estaria num estado pacífico. Gurdjieff, fez uma declaração muito verdadeira. Ele disse que as religiões são todas contra deus, porque são contra a vida. Mas a verdadeira religiosidade é sempre a favor da vida, nunca contra ela.

A religião se espalhou, como força auxiliar dos métodos  antiquados de guerra santa e imperialista. Muitos instrutores santos  usaram a religião para açoitar, espancar, torturar, estuprar e humilharam em praça pública; pregaram o ódio, o medo, a culpa e aterrorizaram os ignorantes. As pessoas se tornaram seguidores (imitadores) crentes e não buscadoras (descobridoras).

O papa João Paulo II, uma exceção,  foi uma pessoa valorosa e séria e de coragem moral. Ele fez  muito para ajudar na emancipação da Polônia, que estava sob o domínio soviético. Seu papado foi conservador e autoritário sim, mas ele parecia mais aberto à ciência e à pesquisa (exceto quando se abordavam assuntos sobre o vírus da Aids) e, mesmo em seu dogma contra o aborto fez algumas concessões a uma “ética de vida”. Exemplo: começou a pregar que a pena capital era quase sempre errada. Quando de sua morte, o papa João Paulo II foi louvado, entre outras coisas, pelo número de desculpas que pediu. Entre elas não estava, como deveria, uma expiação por cerca de um milhão de pessoas passadas no fio da espada em Ruanda na África. Contudo, estavam pedindo desculpas aos judeus pelos séculos de antisemitismo cristão, uma desculpa ao mundo muçulmano pelas cruzadas, uma desculpa aos cristãos ortodoxos orientais pelas muitas perseguições infligidas a eles por Roma. E também uma contrição mais genérica pela Inquisição praticada em nome de doutrinas e dos Evangelhos. Isso parecia significar que a igreja católica, tinha sido no passado principalmente errada e freqüentemente criminosa, mas que tinha sido purgada de seus pecados pela confissão e estava pronta para ser infalível novamente.

UMA CRENÇA QUE DESPREZA  MENTE E O INDIVÍDUO LIVRE ARBÍTRIO , que prega a submissão e a resignação a um Deus imaginário e que considera a vida algo pobre e transitório está mal equipada para a autocrítica. O fato de um crente ser mais feliz que um cético, não é mais que o fato de um bêbado ser mais feliz que um homem sóbrio. A mente baseia-se na fé de coisas invisíveis de que Deus colocou a alma dentro de cada  pessoa. Segundo as religiões. Que a “alma” vive com Deus, que ela existe antes do nascimento e sobrevive após a morte, de que a alma é santa e é uma centelha do divino. Uma religião que espera a destruição do mundo, ( segundo o calendário maia ocorrerá em 2012) que proclama o Apocalipse e o Dia do Juízo, que considera e proclama o sobrenatural (milagres) não podemos considerar como religião. Ou como lembra o escritor Dan  Brown.

“Toda fé do mundo se baseia em invencionices, crenças sem provas. É essa a definição de fé – aceitação daquilo que imaginamos ser verdade, que não podemos provar. Todas as religiões descrevem Deus através de metáforas, alegorias e hipérboles, desde os primeiros egípcios até o catecismo moderno. As metáforas são uma forma de ajudar nossa mente a processar o improcessável.” Aliás , é bom lembrar que a única diferença entre o romance  O código da Vinci e os evangelhos, é que os Evangelhos são ficção antiga, enquanto que o código da Vinci é ficção moderna.

É que adoramos os deuses de nossos pais. ..é quase tudo mentira o que nossos pais e doutrinadores nos ensinaram e tentaram fazer crer como verdadeiro sem poder absolutamente prová-lo.

Veja o Vídeo na Web: Num Pálido Ponto Azul

NÓS ESTAMOS AQUI!

http://youtu.be/EjpSa7umAd8

http://livrespensadores.org/videos/religiao-faz-com-que-voce-se-tor...

O Plano Ridículo de Deus!

http://www.youtube.com/watch?v=pzzzc_NaxW8&feature=colike

Todas as respostas e explicações ao amigo Erijosé Oliveira, já foram brilhantemente e racionalmente apresentadas pelo Ivo e Alfredo.

Mas vamos filosofar, mais um pouquinho e me permitam tentar esclarecer (e desabafar), não necessariamente na ordem das perguntas colocadas, só mais um pouquinho !

"Ateísmo é uma afirmação muito positiva da capacidade do homem de pensar por si mesmo, para fazer para si mesmo, para encontrar respostas para seus próprios problemas."
Madalyn Murray O'Hair (1965)
Madalyn Murray O'Hair (1965)

"O que, de fato, é um ateu? Ele é aquele que destrói ilusões que são prejudiciais para a humanidade, a fim de levar os homens de volta à natureza, à realidade, à razão. ” Ele é um pensador que, tendo refletido sobre a natureza da matéria, sua energia, propriedades e formas de atuação, não tem necessidade de poderes ou inteligências imaginárias idealizadas para explicar os fenômenos do universo e as operações da natureza."
Baron d'Holbach (1770)

O ateísmo não é em si mesmo uma religião.  Isso não envolve nenhum tipo de adoração, os rituais, a fé, orações, etc, e não tem nenhum líder espiritual e nenhum texto sagrado. A maioria dos ateus nunca participam de qualquer tipo de organização ateia (embora elas existam). Os ateus e agnósticos não são organizados e portanto, não tem tanta influência, porque eles tendem a pensar de forma independente e a não se adaptar à autoridade. Mas, incentivam muitos a “sair do armário”, como já acontece no Brasil. Diferente dos grupos religiosos que tem bancada evangélica com lobispolíticos. A humanidade seria mais feliz, menos torturada pela culpa, se a crença em deuses simplesmente não existissem. As pessoas que recorrem a Deuses, quando se apegam a fantasias, simplesmente perdem a razão.

Ateus tendem para filosofias e práticas, como o Racionalismo, Ceticismo, o Humanismo Secular e Naturalismo.  Ateísmo é geralmente baseado em uma filosofia do naturalismo, que afirma que apenas fenômenos naturais existem e que não há forças sobrenaturais, que sustenta que o mundo e o universo contem apenas objetos materiais ou físicos, tais como pode ser descrito pelas ciências físicas de física, química e biologia.. Outros encontram sentido nas escolhas que fazemos na vida (seja a reforma política, o trabalho de caridade, relacionamentos, etc) em vez de a promessa de uma vida hipotética após a morte. Para um ateu, o conhecimento que temos apenas uma vida que a torna ainda mais preciosa e garante uma afirmação mais responsável da vida, não contaminada com  pensamento, auto-ilusão ou auto-piedade.

O Humanismo Secular ( e o neo-humanismo) é uma filosofia humanista que defende a razão, a ética e a justiça, e rejeita especificamente o sobrenatural e o espiritual como base de reflexão moral e de tomada de decisão. É uma postura de vida que incide sobre a forma como os seres humanos ateus, agnósticos e irreligiosos podem levar  vidas boas e felizes.
Humanistas seculares são geralmente não-teístas, e, normalmente, descrevem-se como não-religiosos. Eles não dependem de deuses ou outras forças sobrenaturais para resolver seus problemas ou para fornecer orientações para a sua conduta, mas confiam em vez disso, a aplicação da razão, as lições de história e experiência pessoal para formar um fundamento ético / moral e para criar sentido na vida.  Eles vêem a metodologia da ciência como a mais confiável fonte de informações sobre o que é factual ou verdadeiro sobre o universo.
Eles normalmente defendem a liberdade de expressão da religião nos templos, bem como  a estrita separação entre Igreja e Estado, a abolição das isenções fiscais para as instituições religiosas, a abolição do ensino religioso nas escolas públicas.

As pessoas se tornam ateus para uma variedade de razões. Para alguns, o ateísmo pode ser um ato de rebelião contra uma educação religiosa, mas geralmente resulta de pensamento independente e fundamentado no ceticismo.  Muitos passaram tempo estudando uma ou mais religiões, muitas vezes, e tomaram a  decisão cuidadosa  para rejeitá-las. Um estudo de 2010 mostrou que americanos ateus são realmente nitidamente melhor informados sobre religião do que pessoas que se consideram religiosas (seguido de perto por agnósticos, católicos e protestantes). Uma boa parte (mas não todos) tornam-se ateus, porque a religião não funcionou para eles, porque o seu questionamento das crenças da religião os ter deixados insatisfeitos, ou por terem chegado à conclusão de que as convicções religiosas são fundamentalmente incompatíveis com suas próprias observações.

 No entanto, deve notar-se que o ateísmo pode abranger uma variedade de pontos de vista, e não há nenhuma ideologia ou um conjunto de comportamentos de que todos os ateus aderem.  Um indivíduo ateu pode negar a existência de uma divindade específica, ou a existência de deuses em tudo, a existência de quaisquer conceitos espirituais, sobrenaturais ou transcendentais, como as do hinduísmo e do budismo.

Algumas  razões, sobre os males e motivo de rejeição das religiões,

  1. Ignoram o método científico.
  2. Pregam o amor por meio do temor.
  3. Enaltecem o livre-arbítrio, mas impõe regras.
  4. Pregam a paz, mas tem histórias de guerras.
  5. Pregam a resignação, mas são exemplos do  oposto.
  6. Pregam a servidão, mas são os principais beneficiários.
  7. Pregam a igualdade, mas são os primeiros a discriminar.
  8. Pregam a “salvação”, mas sempre cobram adiantado.

Por que alguns ateus querem acabar com a religião?

Ao longo da história, a religião tem sido uma força de repressão, controle e autoritarismo. Exemplos incluem tentativas da Igreja Católica para suprimir a liberdade de expressão com o Índice de Livros Proibidos, a perseguição as supostas bruxas ao longo dos períodos medieval e moderno na Europa e no Novo Mundo, e no século 15 conversão forçada e repressão de judeus e muçulmanos na Espanha. Como até o século 19, na Inglaterra, os ateus que tiveram a ousadia de defender abertamente suas crenças foram presos.

Também tem sido uma força reacionária profundamente contrária de avanços intelectuais e científicos. Por exemplo, por mais de um milênio (desde o tempo de Santo Agostinho até o Renascimento), o cristianismo, a religião dominante na Europa, deliberadamente atrasou o desenvolvimento da ciência e do pensamento científico, limitando investigação sistemática do mundo natural para a investigação teológica. As descobertas científicas dos antigos gregos e egípcios foram, na medida do possível, suprimidas e destruídas por séculos pela Igreja Cristã, e só foram mais tarde reimportadas de volta para a Europa através de fontes do Oriente Médio.  Como resultado, o conhecimento científico progrediu quase nada durante a chamada Idade das Trevas, e a população estava atolada na mais profunda miséria e da ignorância.

Mesmo quando a investigação científica para o mundo natural retomado no Renascimento do século 16, o Cristianismo fez tudo o que pôde para acabar com isso (os casos de Nicolau Copérnico, Galileu Galilei e Giordano Bruno são bom exemplo disso). A Igreja também se opôs à introdução da imprensa, preocupada que as escrituras e outros conhecimentos se tornariam facilmente disponíveis para as massas, assim, passariam por cima da tradicional  interpretação do clero.  Apesar de alguns significativo  avanços, o conflito entre religião e ciência continua hoje com fundamentalistas cristãos exigindo que seu mito da criação seja ensinado em lugar de, ou ao lado, a teoria da evolução nas escolas públicas.

Também se pode argumentar que as religiões fazem um mal tremendo para a sociedade através do uso da violência, guerra e terrorismo para promover seus objetivos religiosos (para dar apenas alguns exemplos: as Cruzadas, as Guerras judaico-romanas, as guerras franceses e outros europeus de religião, os pogroms europeus e russos contra os judeus, o conflito no Oriente Médio entre Israel e os países muçulmanos vizinhos, a Jihad Islâmica, a guerra indo-paquistanesa, os "problemas" da Irlanda do Norte, do Sri Lanka guerra civil,etç, etc). Os líderes religiosos muitas vezes contribuem para guerras seculares e o terrorismo por endossar ou apoiar a violência, e, inversamente, o fervor religioso é frequentemente explorado por líderes seculares para apoiar a guerra e o terrorismo. Em um mundo amplamente dominado pelas moralidades religiosas de várias facções, ainda estamos constantemente assolados por guerras, injustiças e brutalidades.

As mulheres em particular, têm sofrido nas mãos da religião organizada ao longo dos séculos. Do encorajamento bíblico do tratamento das mulheres como propriedade para a caça às bruxas bárbaras da Europa medieval para a cruzada católica contra o controle de natalidade e aborto à guetização e repressão das mulheres no Islã, as mulheres têm sido alvo de “tratamento especial” por parte dos dominantes grupos religiosos. Algumas crenças extremistas mantem suas meninas e mulheres ignorantes de quase tudo, acreditando que as únicas ocupações adequadas para as mulheres são o casamento e a maternidade.

Sexo em geral é muitas vezes depreciada pela religião, com algumas práticas como a homossexualidade ser vítima de hostilidade e, por vezes, a violência, e muitas religiões parecem ter uma preocupação pouco saudável e bastante anacrônica com sexo.

Algumas religiões também entram em conflito direto com ambos a profissão médica e da lei, e há inúmeros relatos de práticas religiosas de cura (por exemplo, pais religiosos reter cuidados médicos e contando com a oração para curar a doença de uma criança) que provocam danos e até a morte.  O atual papa, Bento XVI, está no registro em 2009, como defender os pontos de vista de alguns de seus cardeais que os preservativos, de alguma forma inexplicável agravam o problema da Aids/HIV. Um arcebispo em Moçambique ainda alegou que os fabricantes de preservativos europeus tem deliberadamente infectado camisinhas com HIV a fim de espalhar a AIDS na África.

A humanidade acredita em Deuses há milhares de anos. Só que agora, já sabemos por quê.  Até aqui, foi natural para o homem acreditar em algo divino, uma espécie de infância da evolução humana. A crença em Deuses perdeu suas funções positivas. Hoje, ela representa apenas uma barreira para o desenvolvimento humano. A crença em deuses é falsa, e o ateísmo é honesto. Não há evidências para a existência de deuses, apesar das alegações dos crentes.

Ateus não odeiam “protestantes”, mas ignorantes fundamentalistas. São contra dogmas (que não admitem contestação) e doutrinas. Você já viu algum ateu protestando contra os deuses gregos e egípcios? Pouco provável. Talvez porque não temos seguidores desses deuses enchendo nosso saco em casa, no trabalho, na rua, com tele-evangelistas na TV ou no rádio. Nem existe uma bancada grega ou egípcia tentando nos impor leis baseadas em suas crenças. Ateus não protestam contra Deuses gregos porque seria mais ridículo ainda. Eles protestam contra teístas, pura e simplesmente, porque assim atingem um maior número de religiosos.
Acho que, quanto mais crentes participam em debates com ateus, melhor o mundo vai ficar. Cessai de afirmar mentiras que paramos de negar! Até por que os ateus conhecem melhor a bíblia e sabem mais sobre outras  religiões do que os próprios crentes.

Há ainda varias formas pelas quais a religião sofre dura crítica. Nas suas doutrinas, é não apenas amoral, mais decididamente imoral. E essas falhas e crimes não são encontrados no comportamento de seus adeptos (que algumas vezes é exemplar), mas em seus preceitos, ritos e dogmas originais. Entre eles estão:

Apresentar um retrato falso ao mundo, aos inocentes e crédulos;

Não revelar documentos e a verdadeira história de Jesus;

A doutrina da recompensa celestial (alma que sobrevive ao corpo) e ou punição eterna;

A imposição de tarefas e regras impossíveis pelos ditames papais;

A doutrina da expiação, do pecado e culpas sociais;

A doutrina do sacrifício do sangue;

Adoração da Eucaristia (comunhão), pelo menos na Páscoa que é o sacrifício de Cristo marcado pela partilha do Corpo de Cristo e do Sangue de Cristo que se considera que substituem em tudo menos na aparência o pão e o vinho utilizados na celebração. A crença de que o pão e o vinho são transformados no Corpo e no Sangue de Cristo chamada transubstanciação;

Representar de forma errada e equivocada a origem e a descendência do homem (somos todos do reino animal) e do cosmos;

Que Deus criou o homem a sua imagem e semelhança;

A fragilidade alicerçada nos e em conhecimentos bíblicos;

O Sacramento do Batismo, dado às crianças e a convertidos adultos, considerando que o efeito chega imediatamente a Deus e a Confirmação ou Crisma através de um presente do Espírito Santo para fortalecer;

Causa e resultado de perigosa repressão sexual; (a Organização Mundial da Saúde e organizações de psiquiatras e psicólogos ao redor do mundo já não consideram doença a homossexualidade).

O ritual da circuncisão (ritual de boas vindas aos do sexo masculino na religião judaica);

É utilizada como instrumento por aqueles que desejam poder e autoridade;

A “infalibilidade” do Papa;

A doutrina do apocalipse;

Fazer o papel de policia do mundo em questões de comportamento;

Imposição de restrições alimentares (jejum);

Atendimento das necessidades materiais das igrejas através de doação de contribuições e dízimos;

Falsas promessas de resolver problemas pessoais, cotidianos colocando-os nas mãos de Deus e milhares de santos cada um com sua especialidade e confiando neles;

Fatalismo religioso;

A Unção dos enfermos com “óleo sagrado” abençoado para esse fim, “extrema unção” ou “último sacramento” a doentes graves e moribundos;

Posicionamento contra o progresso da biociência e o desenvolvimento da civilização;

A confissão auricular, faz o papel de leva-e-traz entre os crédulos, clero, santos e deuses, para a manutenção de seu poder;

Não reconhecimento de outras religiões com as quais se digladiam e matam;

A Confissão ou Penitência ou Reconciliação, que envolve a admissão de “pecados” perante um padre e o recebimento de penitências (tarefas a desempenhar a fim de alcançar a absolvição ou o perdão de Deus);

Culto idólatra com adoração de santos, relíquias e imagens (também em procissão) como mensageiros da salvação;

Resumindo: Os crentes não estão nem ai para a verdade, discussões verdadeiras ou busca pelo conhecimento, querem apenas provar para eles mesmo que seu deus pessoal existe…

A religião atrapalha os planos ateístas?

Resposta: E os ateus atrapalham os negócios do mercado das religiões?

Os religiosos tambem são ateus em relação aos deuses das outras religões. O ateísmo não é mesmo necessariamente equivalente à irreligião, embora a maioria dos ateus também seja irreligiosos, no sentido de que eles não praticam nenhuma religião. Alguns sistemas de crenças religiosas e espirituais que não ativamente defendem a crença em deuses (como algumas formas de budismo, por exemplo) podem ser descritos como ateu, e várias outras religiões, incluindo o confucionismo, taoísmo e jainismo, ou não incluir a crença em um deus pessoal como um dogma da religião, ou ativamente ensinar não teísmo. Há mesmo seitas de ateus cristãos (que rejeitam o Deus do cristianismo, mas seguem os ensinamentos de Jesus) e ateus judeus (que enfatizam a cultura e história judaicas, ao invés de crença em um Deus, como as fontes de identidade judaica).

O que realmente ateus querem? O mesmo que Você, porém conscientizar para viver uma vida livre de verdade, sem crenças no sobrenatural por doutrinação e submissão. Pelo que sabemos, quem sempre andou de mãos dadas com os políticos foram as religiões.

Porque a religião seria a causa da maior violência se a grande maioria das pessoas está mais fora do que dentro das igrejas?

Levar pessoas de bem a fazer coisas ruins é uma especialidade das religiões. Como a humanidade aprendeu muito sobre tudo, e superou a xenofobia em certo grau, nos tornamos capazes de refletir sobre nossas tradições e de identificar nelas os “defeitos” que precisam ser reparados Assim, universalmente, a humanidade foi mudando seus conceitos. O Velho Testamento, por exemplo, aceita o trabalho escravo, o infanticídio, o marido que bate na esposa, a punição com a pena de morte. Hoje, sabemos mais sobre a origem das religiões, a ciência sobre o mundo (tudo a um clique no mouse) e sobre nós mesmos.

- A ciencia ao invés de gastar estes milhões de dólares em armamento, aviões de guerras e bombas nucleares deveriam apostar nos seres humanos e tornar um mundo melhor. Não acha?

Acho, sim! E infelizmente, os governos republicanos  (fundamentalistas religiosos americanos), são o pior exemplo no mundo.

Pela falta de informação científica, as pessoas encontram na fé o caminho mais curto (ou mais fácil), para driblar o sofrimento pessoal.

É justo dizer que os ateus dão muita confiança na ciência, mas isso não é "fé" no sentido religioso e como religiosos teístas, deístas, panteístas, normalmente usam o conceito. Ateus colocam sua confiança na ciência porque ela tem demonstrado quão confiável ela é. A fé por séculos foi mais forte  e mais influente e mais poderosa que a ciência. O choque entre as duas tem raízes profundas na história da humanidade.

O método científico tem provado ser um meio eficaz para separar a verdade da falsidade, durante o período relativamente curto que a ciência tem existido, ela tem conseguido muito mais do que qualquer coisa tem - inclusive as religiões.

http://livrodeusexiste.blogspot.com.br/2011/02/cap-ciencia-x-religi...

"Eu nunca vi a menor prova científica das ideias religiosas de céu e inferno, da vida futura para os indivíduos, ou de um Deus pessoal."
Thomas Edison (1911) Thomas Edison (1911)

Aqui está uma lista de apenas alguns sites internacionais.

Wikipedia: Atheism - http://en.wikipedia.org/wiki/Atheism

Atheistic Forum Wiki - http://wiki.atheist.net/index.php?n=Atheism.Atheism

Wiki Fórum ateu - http://wiki.atheist.net/index.php?n=Atheism.Atheism     

The Basics of Philosophy - http://www.philosophybasics.com/

O ateísmo positivo - http://www.positiveatheism.org/

Ateísmo: Como viver sem Deus, Religião e Crenças  - http://atheisme.free.fr/Atheism.htm

American Atheists - http://www.atheists.org/ Ateus Americanos - http://www.atheists.org/

Living Without      Religion - http://www.atheisme.ca/

Viver Sem Religião - http://www.atheisme.ca/

Agnosticism/Atheism      (About.com) - http://atheism.about.com/

Agnosticismo / Ateísmo (About.com) - http://atheism.about.com/

Secular Web (Internet Infidels): http://www.infidels.org/

Skeptics Corner: http://www.inu.net/skeptic/ Céticos canto: http://www.inu.net/skeptic/

Freethoughtpedia: http://www.freethoughtpedia.com/     

Richard Dawkins - http://www.richarddawkins.net/

Sam Harris: http://www.samharris.org/

Brilhantes as suas colocações, Oiced. Brilhantes e suficientes para esgotar o assunto. Acho que depois delas e das que foram também adicionadas pelos demais colegas irreligiosos, as perguntas do Erijosé estão mais do que respondidas. Se ele não entender e continuar a ter dúvidas depois de tudo o que foi dito é porque não adianta dizer-lhe mais nada: ele já tem o seu conceito (equivocado) sobre os ateus e não vai mudar.

Aliás, este é um defeito geral dos crentes: não se convencem diante de argumentos, por mais consistentes que sejam.

Antes de terminar, quero dar este detsaque a um dos comentários do Oiced, com os quais concordo:

"[...] É um absurdo que hoje em dia ainda existam pregadores que dizem ouvir coisas de Deus e prometem a cura de doenças a pessoas desesperadas. O pior é ver gente sem informação, sem contestação nenhuma, acreditando. E ver isso se alastrar como uma pandemia é desesperador. [...]"

Esta é uma das coisas (dentre tantas resultantes das práticas religiosas) que nos angustia e que combatemos. E o que dizer dos estragos que as religiões fazem nas mentes das pessoas, tornando-as dependentes como um viciado em crack, sem forças, exploradas, dominadas, incapazes de pensar por si mesmas, de evoluir e de se rebelar?

Finalizando, vou responder, em separado, a mais esta sua 

Pergunta: "2 - Por que ateus são contra a religiosidade se ela traz alguns benefícios a sociedade?"

Resposta: A pergunta foi mal formulada porque confundiu-se "religiosidade" com "religião". Não somos contra a religiosidade porque o sentimento de religiosidade já nasceu com o homem e até um ateu pode ter resquícios de religiosidade (não dá para explicar aqui). O que combatemos, repito, são as religiões e seus malefícios, estes sim muito maiores do que "alguns benefícios" que possa eventualmente conceder aos praticantes. Na famosa prova da relação "custo x benefício", as religiões seriam reprovadas, porque causam muito mais mal do que bem.

Eu não falo mais nada, mas gostaria que, pelo menos por educação, o Erijosé se manifestasse sobre as explicações que teve.

Saudações Irreligiosas!

Por que a ilusão seria melhor do que a realidade? Carl Sagan disse: "A verdade desconfortável é melhor do que a mentira consoladora". Mas é bom observar de novo por que os ateus são ateus.

Revelando as Religiões

     "As religiões são apenas superstições mais elaboradas. Mais elaboradas porque ao longo de sua formação seus criadores foram incorporando seus rituais, suas narrativas, primeiro orais, depois escritas, forjaram seus livros, sua doutrina, teologia, sua literatura, etc. As crenças foram perpetuadas através da doutrinação, repetição, usos, costumes e tradições.

     Os livros sagrados de todos os credos são coleções de fábulas, mitologias, lendas e fragmentos de culturas antigas. A prova de que esses livros são mitologias está em seu próprio conteúdo fabulesco. Eram narrativas sujeitas àquela regra: quem conta um conto lhe acrescenta um ponto. Mais as supressões, adições, reinterpretações e recriações que esses textos foram recebendo. Não houve nenhuma revelação.

     O Deus é um ser da mesma natureza dos deuses, semideuses, divindades, fetiches, xamãs, toténs, etc, etc, e todos são criações humanas. Todos os salvadores, messias, profetas e pregadores são os precursores dos atuais exploradores de nossa credulidade. Ainda assim, afastar de nossas mentes o Deus herdado desde o colo da mãe é uma tarefa impossível para muitos.

     O conceito de espírito ou alma surgiu quando o homem primitivo começou a interpretar o sonho como uma entidade que habitava nosso interior. Surgiu então o animismo, de alma ou espírito, entes imaginários, pois o que temos de imaterial é a nossa consciência, o pensamento, a imaginação, a mente, mas gerados por nossa própria condição biológica.

     A ética (ou a moral) independe de qualquer fundamento teológico, já que ela resulta da própria necessidade da convivência harmônica dos homens. O grande balizador da ética é a regra de ouro – Não fazer aos demais aquilo que não gostaria que lhe fizessem – e que vem desde os escritos antigos e repetida inclusive nos Evangelhos.

     A existência do Universo. Por que existe Algo ao invés do Nada? Sabe-se que o Algo não pode vir do Nada, e isto leva a uma síntese inarredável: o Universo é eterno e existe por suas próprias contingências imanentes. E nós existimos porque o arranjo cosmológico aleatoriamente estabelecido permitiu que na Terra moléculas pré-biológicas se tornassem biológicas, e evoluíram.

     Todo o mundo sobrenatural ou transcendente que imaginamos é resultante de nossos medos, fragilidades, compulsões, nosso autoengano e de nossa inconformidade com a finitude da vida".

Sempre gosto de ler os seus textos Assis. Como os da maioria aqui, é verdade. Esse fórum tem um nível de cultura muito alto! Apesar do meu conhecimento, me qualifico com menos da metade do conhecimento de muitos aqui. Eu tive minhas próprias experiências e isso ajudou bastante, e acabei me especializando mais na inexistência de Jesus, mas aqui tem colegas que dão show de sabedoria em vários assuntos que eu sei pouco. É sempre com orgulho que eu convido pessoas para participarem do Irreligiosos.

Abraços

Caro Oiced:

A respeito do seu comentário de 14/11/2012, do qual destaco o trecho:

"...A CRENÇA RELIGIOSA faz as pessoas se comportarem melhor?

A opinião de, Oiced Mocam, inspirado pelos Irreligiosos e foristas!

Os cristãos gostam muito de dizer, 'quem não tem deus no coração é capaz de fazer tudo'.  Ledo engano, o deles. A moralidade existe independentemente da religião, e se você só deixa de fazer coisas erradas porque é temente a deus (porque teme a ira dele e crê que sendo bom receberá uma recompensa); a bem da verdade você não é bom ou justo. Você é desinformado, hipócrita ou vendido.[...]"

recomendo o nosso vídeo "Ateus e Cristãos Célebres - Biografias Comparadas", que ratifica e discute, com exemplos, este seu entendimento.

E finalizo com a pergunta: O autor do tópico, contemplado com as maravilhosas respostas acima, se dignou em responder a algum comentário formulado depois de 31/10/2012, ainda que fosse para discordar? Fez-nos algum agradecimento pelas respostas dadas? NÃO! É isso que nos deixa tristes e desestimulados em debater com crentes.

Saudações Irreligiosas!

Responder à discussão

RSS

Sobre

Badge

Carregando...

Leia Isto!

Traduzir para/Translate to:


Visualizações

contador de visitas online

Se esta é a sua 1ª visita ou se passou por aqui, mas não quis comentar nem publicar nada, assine o nosso livro de visitas!

Irreligiosos.ning.com website reputation

Recados Rápidos

 

 

Links Indicados

Sites da Rede DDD: . . . . . . .Logo Rede DDD Acessar links dos sites Baú do Inexplicado Outros:
visit Skeptic.com

Sociedade Racionalista

ComunidadeO Outro Lado das ReligiõesBULE VOADORInternet Infidels Visitar o Observatório

GeraLinks

Badges do Irreligiosos

Nosso badge no seu blog:

Link o Irreligiosos


(Clique aqui para saber como!)


Enquete Jesus Cristo


Sua opinião sobre Jesus Cristo:
Acesse o post de apoio;

----------------
Acesse a nossa página PESQ para responder à enquete.

 


Notícias Cristãs

Atenção: As notícias aqui divulgadas não são nossas recomendações e são veiculadas apenas para informar os últimos acontecimentos e eventos do cristianismo.

(Se a exibição falhar, não é culpa nossa e sim do Widget. Não se preocupem, elas voltam depois)

Por Gospel+ - Gospel+ Noticias

Grupos

Principais Colaboradores

Abaixo, destacamos (em ordem alfabética) a 4ª lista dos nossos  mais eminentes e constantes colaboradores:

  • Alfredo Bernacchi
  • Assis Utsch
  • Carlos Dosivan
  • Divina J. Scarpim
  • Erijosé Oliveira
  • Gilberto Vieira
  • Jorge O. Almeida
  • Luísa L.
  • Márcia Zaros
  • Marilda Oliveira
  • Oiced Mocam
  • Paulo Luiz  
  • Paulo Rosas 
  • Rafael Rocha
  • Sergio M. Rangel

© 2017   Criado por Ivo S. G. Reis.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço