Irreligiosos

Se você não sabe, aceita e não questiona, embota-se e acaba virando crente.

 

 

Quem criou o mal.

 

        Meu questionamento não é simplesmente para ser ou parecer do contra, acontece  que tenho um cérebro pensante, uma mente aberta e principalmente sem influência de ninguém me ditando o que pensar, minha mente é livre, tanto de preconceitos como de dogmas religiosos. Isso me da á liberdade de questionar os pontos obscuros que existem nas crenças populares, e principalmente nas crenças religiosas.

       Há uma grande controvérsia no tema, como foi criado o mal, ou quem criou o mal. Os que acreditam em Deus são categóricos. Deus somente criou coisas boas, os homens foram os causadores da criação do mal. Isso quer dizer que tudo que há de errado no planeta terra foi causado pelo ser humano.

       Figurativamente diz a Bíblia Sagrada que a culpa foi do Adão, em desobediência comeu a maçã. Este fato só pode ter um sentido figurado, mas os seguidores da Bíblia acham que existiu mesmo um Adão desobediente, e com este simples gesto o mal estava implantado. Pergunto, e quero respostas: O que se entende por mal, é quando um ser humano mata ou agride outro ser humano, é quando um pai ou uma mãe  abandona seu filho e o deixa morrer de fome, ou ainda quando homens poderosos que se dizem filhos de  Deus promovem guerras, proporcionando grandes  matanças. Isso tudo eu concordo, esse mal é criado pelos seres humanos, mas há outros tipos de males que assolam a humanidade, os quais não são criações dos homens, por exemplo,  terremotos, maremotos vulcões, enchentes causadas por tempestades devastadoras, vendavais, avalanches, raios e muitos outros de menores magnitudes, estes males não foram criados pelos homens, foram obras  criadas por Deus, e a peste bubônica, varíola, tifo malária  as quais quase chegaram a dizimar  populações inteiras, e  as doenças causadas por vírus, bactérias e muitas outras criações maléficas, não são obras dos homens, certamente são  de Deus, pois segundo a bíblia ele criou tudo. O que  destrói mais são os males criados  pelos homens ou os males criados por Deus?

      Não venha dizer que o homem destruiu a natureza e isso está causando descontroles climáticos. Quando a cidade de Pompéia e Herculano foram destruída pelo vulcão  Vesúvio no ano 79 d.c.  a natureza ainda estava intacta, não havia ainda as destruições  feitas pelos homens. Dizem os mais cheios de fé na Bíblia Sagrada e em Deus, que não cai uma folha de uma árvore se o mesmo não permitir, cair folha, sei que é no sentido figurado, eu entendo, quer dizer nada acontece sem o aval de Deus.

     Obs. a referencia entre aspas abaixo  foi escrita por George Carlin,  comediante americano já falecido.

     “Como pode Deus não se manifestar diante de, por exemplo, o horror de um animal que estraçalha o outro e começa a comer suas entranhas enquanto o coração ainda bate e o medo ainda está nos olhos da vítima? Como é que se pode dizer que todo o mal que existe no mundo é culpa dos seres humanos”

     Sei que o mal e o bem na face da terra fazem parte do sistema o qual não tem interferência de nenhuma entidade divina, tudo transcorre de uma maneira natural e imutável

     Sei que minhas palavras pode-se dizer que são chover no molhado, não irão mudar nada, mas da ou não da para pensar, refletir e tentar uma melhor observação  nestes fatos.

 Paulo Luiz Mendonça autor do livro Crônicas, indagações e teorias. Editora Scortecci. 

Exibições: 353

Responder esta

Respostas a este tópico

Olá!

 

Na visão da Bíblia hebraica do período pré-exílico, em que ainda não se tinha a ideia da personificação do mal através de Satã (o dualismo só surgiu quando os judeus entraram em contato com a cultura persa), quem trazia o bem e o mal era Deus. Mas aos homens cabia não se arrogar no "conhecimento do bem e do mal" que foi o pecado de Adão e Eva, segundo o Bereshit (Gênesis). Ou seja, o homem se desgraçou quando resolveu controlar as forças boas e más.

 

"Sei que o mal e o bem na face da terra fazem parte do sistema o qual não tem interferência de nenhuma entidade divina, tudo transcorre de uma maneira natural e imutável"

 

Eu entendo que as coisas possam ocorrer de maneiras bem naturais, mas creio na soberania divina. E creio que o Eterno estabeleceu suas leis no princípio da criação que, se violadas, podem nos trazer consequências.

 

Neste sentido, o descontrole climático pode mesmo estar sendo influenciado pela ação antrópica sobre o ambiente, mas é certo que algumas tragédias decorrem de fatos naturais nem sempre previsíveis como foi em Pompéia ou até mesmo em dias mais recentes na Região Serrana do Rio de Janeiro (claro que também com muitas falhas humanas nas construções irregulares).

 

Ora, tudo isto ensina-me que o homem deve ter mais respeito e reverência pela vida o que, em outras palavras, não deixaria de ser o temor de Deus que é tratado na Bíblia. Então, quando se diz que "o temor do SENHOR é o princípio do saber [ou da sabedoria]", as Escrituras estão oferecendo o antídoto para as consequências decorrentes de termos comido do fruto do bem e do mal.

Rodrigo para quem acredita na Biblia Sagrada tudo esta resolvido, tudo é maravilhoso, a palavra de Deus explica tudo, mas eu não acredito, Não acredito porque acho que a Biblia é um mito e que foi escrita por homens comuns, eu respeito os que aprenderam a acreditar, eu não consegui aprender não sei se é porque minha mente e muito aberta ou muito fechada. segue abaixo uma crônica minha.

 

 

 

Porque acreditam na Bíblia.

 

Já tentei ler a Bíblia Sagrada, não sei se por mediocridade minha ou pelo seu conteúdo muito confuso não consegui entender nada.

     Das  pesquisas que faço  sobre religiões surgem indagações.

      Minhas indagações não são apenas com o intuito de ser simplesmente do contra, e sim para esclarecer os pontos polêmicos. Nas explicações da Bíblia sagrada a qual eu tenho muitas duvidas.      Minhas descrenças não são exatamente das explicações da Bíblia, e sim das explicações dos religiosos que as interpretam, porque a bíblia é, ou pelo menos eu acho  muito difícil de ser interpretada, mas os religiosos a interpretam com muita facilidade, da maneira deles é claro, ainda tem outra agravante, se a Bíblia é fácil de ser entendida, porque existe uma grande variedade de igrejas diferente, e cada uma dando a sua versão destes escritos sagrados. Se estas escrituras foram feitas por profetas inspirados por um Deus único, porque as diferenças nas interpretações.

      Outro ponto de duvidas que me intriga é, segundo as explicações, este livro sagrado foi escrito por profetas inspirados por Deus, se isto é verdadeiro porque estes  escritos  quando se referem a  animais, estes escritos   mencionam somente os que existiam especificamente naquela região. Não li em nenhum relato da Bíblia sagrada, mencionar, por exemplo, a respeito dos animais da Austrália, como canguru, ornitorrinco e outros animais exóticos daquela região,  também não li nada a respeito dos  animais aqui das Américas, como a lhama, anta ou o nosso marsupial gambá. Também os relatos sobre a arca de Noé não mencionam nenhum destes animais existente somente em outros continentes, porque estes  animais eram desconhecidos na época naquela região. Isso  parece para mim  que os escritores do livro sagrado não tinham uma visão global da terra, tinham  uma visão apenas parcial. Se foram realmente inspirados por Deus, eles teriam de ter um conhecimento mais globalizado, tanto da terra como de todo o universo. Outra coisa que me deixa com muita dúvida e que na bíblia em nenhum dos seus escritos mencionam seres microscópicos, isso também é coisa que sempre existiu, os profetas deveriam saber a respeito e instruir o povo sobre as doenças causadas por estes micros organismos. Voltando as explicações religiosas eu fico de boca aberta de ver os teólogos explicarem os relatos da bíblia com tanta facilidade e segurança, e eu não consigo entender absolutamente nada, esta é minha grande duvida será que eu não entendo por falta de inteligência ou será que eles têm uma inteligência privilegiada a qual eu não posso me equiparar.

 

Notas, na minha humilde opinião, as pessoas que dizem acreditar na Bíblia Sagrada, acreditam porque  algum  religioso de alguma igreja lhes passou a informação do conteúdo da mesma. Eu duvido que tenha alguém que pegou na Bíblia pela primeira vez, a abriu e iniciou a leitura e foi entendendo tudo na maior facilidade. Eu duvido que isso tenha acontecido, acho eu que todos que acreditam, acreditam porque receberam instrução de outra pessoa, e quando você recebe instrução de terceiros,  estes ensinamentos podem ter por traz o interesse particular de quem esta instruindo. Eu somente aceitarei a Bíblia como verdadeira palavra de Deus se eu entendê-la sozinho sem a interferência de nenhum teocrata.

Paulo Luiz Mendonça Autor do livro Crônicas indagações e teorias. Editora Scortecci.

 

 

 

 

Prezado Paulo Luiz,

 

Antes de mais nada, devemos compreender que o mito é uma linguagem. E há vários mitos na Bíblia misturados com narrativas de fatos históricos, ensinos sapiençais, tratados de leis, salmos que se traduzem em orações, declarações de louvores e belas reflexões.

 

Não há unidade teológica na Bíblia. Tem-se ambiguidades, as quaisnos revelam o quanto o homem é de fato ambiguo. Mas as doutrinas religiosas tentam impor pela lógica uma versão empacotada dos livros da Bíblia, ignorando até as benditas contradições que há entre os textos sagrados. O problema é que as igrejas não conseguem conviver harmonicamente com a pluralidade e com aquilo que Lutero um dia pregou - a livre interpretação da Bíblia. Isto o Protestantismo em sua prática sempre negou. Só que, desde o início do cristianismo, houve pluralidade de pensamentos e o mesmo também sempre ocorreu no judaísmo.

 

"Isso  parece para mim  que os escritores do livro sagrado não tinham uma visão global da terra, tinham  uma visão apenas parcial. Se foram realmente inspirados por Deus, eles teriam de ter um conhecimento mais globalizado, tanto da terra como de todo o universo"

 

Com certeza! E, se entendermos os relatos da criação e do dilúvio como mitos, teremos mais facilidade para aceitar por que os redatores da Torah não mencionam animais de outros continentes. Aliás, justamente por tais relatos serem de fato mitos e que foram baseados em tradições anteriores que, originalmente, foram contadas e recontadas pelos ancestrais ao redor da fogueira, não há nenhuma preocupação em se impor versões históricas. Pois quem repassa a tradição quer na verdade transmitir um ensinamento que vai além da simples narrativa, a qual nada mais é do que metaforicamente falando, as roupas da Torah, de modo que se faz necessário penetrar na alma da Mensagem. Só então é que pode ser alcançada a Revelação do Eterno. Para quem escreveu a Bíblia não tinha nenhum proveito escrever estudos geográficos ou biológicos de todo o planeta e não creio que seus autores tinham a mesma compreensão científica dos dias de hoje.

 

Eu concordo com você sobre a posição de humildade que devemos ter ao estudar a Bíblia, sem nos arrogarmos em dizer que a conhecemos por razão de um ensino em alguma igreja ou mesmo num seminário teológico por mais que se tenha graduado nas melhores faculdades. Entendo que a postura adequada de todo e qualquer estudiodo, até mesmo de um pastor ou padre, seria buscar a compreensão do sentido da Mensagem, sendo certo que o significado nos é revelado numa esfera de subjetividade.

 

Aproveitando a oportunidade, gostaria de indicar um texto que escrevi no meu blogue com o título "Uma inspiradora revelação sobre quem somos" onde discuto sobre o mito da criação falando também a respeito da Arca de Noé:

 

http://doutorrodrigoluz.blogspot.com/2011/01/uma-inspiradora-revela... 

 

Abraços.

Olá Paulo.

O mal vem da nossa mente. Assim como o bem. Estão instalados lá. Um sentido apurado, dignos da nossa condição inteligente. Aquele que você alimentar mais, durante a sua vida é o que irá imperar na sua mente. isso é tudo.

Repare: Os animais têm instintos fabulosos. As cadelas já nascem sabendo cuidar das suas crias. Ninguém ensina.

Os leões, entretanto comem seus próprios filhotes, para que a leoa, não tendo o que amamentar, entre de novo no cio, aceitando o leão para o sexo.

São coisas incríveis da Natureza. Da nossa natureza. Precisamos nos policiar, porque somos inteligentes e racionais, para não seguirmos os nossos instintos maus.

abç



Alfredo Bernacchi disse:

Olá Paulo.

O mal vem da nossa mente. Assim como o bem. Estão instalados lá. Um sentido apurado, dignos da nossa condição inteligente. Aquele que você alimentar mais, durante a sua vida é o que irá imperar na sua mente. isso é tudo.

Repare: Os animais têm instintos fabulosos. As cadelas já nascem sabendo cuidar das suas crias. Ninguém ensina.

Os leões, entretanto comem seus próprios filhotes, para que a leoa, não tendo o que amamentar, entre de novo no cio, aceitando o leão para o sexo.

São coisas incríveis da Natureza. Da nossa natureza. Precisamos nos policiar, porque somos inteligentes e racionais, para não seguirmos os nossos instintos maus.

abç

 

Alfredo eu sei perfeitamente o que é o mal, e onde se encontra, a minha crônica, quem criou o mal foi dirigida aos fanaticos religiosos os quais acreditam que nós seres humanos,somos culpados de todo o mal da terra, eu quis mostrar que existem coisas más as quais foram criadas por DEUS. O mal sobre a terra esta sempre sendo criados por nós todos os dias,  o bem tambem pode ser criados todos os dias tudo depende da nossa conciencia. Abraços Paulo Luiz mendonça.

O que é o inferno.

        Quando crianças, nós estávamos sujeitos a receber de nossos pais algum tipo de ameaça para nos amedrontar quando não obedecíamos as suas ordens, ou quando fazíamos alguma peraltice. Diziam eles que o bicho papão vinha nos pegar, ou ainda, papai do céu chora se você fizer arte, e muitas outras expressões folclóricas. Isso aplicado em crianças tudo bem, são apenas fantasias infantis, quando a pessoa cresce estas figuras  apagam do seu cérebro, não deixando nenhum resquício de preocupação.

         Não sei como é em outras partes do planeta onde não acreditam na Bíblia Sagrada, mas aqui no nosso país, onde a maioria acredita, foi criado á figura do diabo o representante do mal o qual lhe deram vários nomes tal como satanás belzebu e muitos outros. Ele é um sujeito mau, ostenta na cabeça um par de chifres, segundo dizem as religiões, ele é tenebroso, horripilante é também cheio de artimanhas as quais usa para atrair os seres humanos descuidados Seu reino se chama inferno, cujos portões estão sempre abertos para receber os pecadores  os quais perecerão lá eternamente. Se falarmos isso hoje para uma criança com um mínimo de inteligência ela irá rir e levar na brincadeira, se por acaso ela acreditar no momento, quando ela se desenvolver, se tornar adulta verá que esta figura diabo e inferno, não passa de uma coisa ridícula. Se fosse no tempo da idade média, até se podia aceitar que as pessoas acreditassem, mas hoje no século vinte um, uma época com grande avanço nos conhecimentos, grande avanço na tecnologia e um tremendo avanço nos meios de comunicação, é uma vergonha ter pessoas adultas acreditando em uma coisa tão bizarra quanto a figura do diabo cuja morada é o inferno.. Será que ainda não perceberam que a figura diabo foi criada para amedrontar e atrair as pessoas para as religiões. Quando falam que o problema com o diabo é depois da morte ai que o medo cresce e toma proporções gigantescas, porque o medo da pós-morte é terrível para os seres humanos, porque o medo é terrível. Porque temos o raciocínio, podemos pensar no futuro. Os animais, por exemplo, não tem esta preocupação porque eles não raciocinam. Os seres humanos sim raciocinam e temem a morte. As religiões aproveitam deste medo mórbido para atrair mais e mais adeptos. No futuro quando a mente humana estiver mais desenvolvida, a inteligência estar mais aprimorada, religião será coisa do passado.

Na minha modesta opinião, Deus ou o diabo os quais representam o bem e o mal. Estas figuras estão com toda certeza dentro da nossa própria consciência. Nós podemos ser Deus, e também ser o diabo tudo depende do nosso procedimento. Se agirmos com decência, dignidade, amor ao próximo, e não sermos egoístas, maledicentes e hipócritas, seremos a essência de Deus. Se formos indecentes, indignos, maldosos, Hipócritas, egoístas e maledicentes fatalmente teremos  a essência do diabo. Esta é a verdade nua e crua o resto é tudo fantasia, não tem nenhum sentido pratico, portanto, religião não nos levará a nenhum paraíso glorioso povoado por anjos com suas liras entoando cânticos celestiais. Se levarmos uma vida exemplar, correta, de trabalho e honestidade. A única coisa que poderemos conseguir será uma exuberante paz de espírito, a qual nos dará coragem e tranqüilidade para enfrentar  a morte. Assim  iremos para o túmulo em paz com a consciência de dever cumprido. Quem teve uma vida descente e produtiva para a humanidade nunca temerá a morte. A morte somente será temida por aquele que têm a consciência pesada por não ter cumprido seu dever de maneira exemplar e correta.

Paulo Luiz Mendonça.

 

 

 

Não adianta nada.

Não adianta nada amar a Deus sobre todas as coisas.

Se você deixa seu semelhante abaixo de todos os seus  interesses.  

Não adianta nada ser freqüentador assíduo dos templos religiosos.

Se você continua a ser egoísta, não estendendo a  Mão a um necessitado.

Não adianta nada pagar o dízimo com toda fidelidade.

Se você nega ao seu semelhante o pão para saciar-lhe a fome.

Não adianta nada não trabalhar no sábado por que é dia reservado ao senhor.

Se você usa neste dia o trabalho dos seus semelhantes.

Não adianta nada sair de porta em porta procurando almas para  salvar.

Se você esquece os seus afazeres e o progresso da sua própria vida.

Não adianta nada se especializar na leitura da Bíblia.

Se você não se preocupa com os acontecimentos e progressos da humanidade.

Não adianta nada aparentar-se bem vestido para impressionar.

Se você  internamente demonstra que a hipocrisia se faz presente.

Não adianta nada estar sempre no templo aprendendo coisas maravilhosas da Bíblia.

Se você no dia a dia deixa de praticá-las. 

Não adianta nada aprender, não julgueis para não ser julgado.

Se você faz isso diariamente com seu semelhante.

Não adianta nada estar sempre orando e fazendo pedidos.

Se você mantêm suas mãos na inércia sem ajudar a ninguém.

Não adianta nada se preocupar em ser salvo no dia do juízo final.

Se você não procura engrandecer o aprimoramento progressivo do seu espírito.

Se algum dos itens acima lhe servir, vista a carapuça. Se nenhum deles se encaixar com sua conduta, então você deve sentir-se como um  ser humano iluminado, portanto  jogue a no lixo.

Paulo Luiz Mendonça.

Olá, Paulo

 

"Tudo que a humanidade sofreu com as guerras, com a pobreza, com a pestilência, com a fome, com o fogo e com o dilúvio, todo o pavor e toda a dor de todas as doenças e de todas as mortes — tudo isso se reduz a nada quando posto lado a lado com as agonias que se destinam às almas perdidas. Este é o consolo da religião cristã. Esta é a justiça de Deus — a misericórdia de Cristo. Este dogma aterrorizante, esta mentira infinita: foi isto que me tornou um implacável inimigo do cristianismo. A verdade é que a crença na danação eterna tem sido o verdadeiro perseguidor. Fundou a Inquisição, forjou as correntes e construiu instrumentos de tortura. Obscureceu a vida de muitos milhões. Tornou o berço tão terrível quanto o caixão. Escravizou nações e derramou o sangue de incontáveis milhares. Sacrificou os melhores, os mais sábios, os mais bravos. Subverteu a noção de justiça, derriscou a compaixão dos corações, transformou homens em demônios e baniu a razão dos cérebros. Como uma serpente peçonhenta, rasteja, sussurra e se insinua em toda crença ortodoxa. Transforma o homem numa eterna vítima e Deus num eterno demônio. É o horror infinito. Cada igreja em que se ensina esta idéia é uma maldição pública. Todo pregador que a difunde é um inimigo da humanidade. Em vão se procuraria uma selvageria mais ignóbil que este dogma cristão. Representa a maldade, o ódio e a vingança sem fim. Nada poderia tornar o inferno pior, exceto a presença de seu criador, Deus. Enquanto estiver vivo, enquanto estiver respirando, negarei esta mentira infinita com toda minha força, a odiarei com cada gota de meu sangue.

— Robert G. Ingersoll

 

Leitura recomendada; simplesmente brilhante:

"O problema com Deus"
AS RESPOSTAS QUE A BÍBLIA NÃO dÁ AO SOFRIMENTO

Bart D. Ehrman

Quem criou o homem não sei, mas sei quem criou Deus, quem criou Deus foi alguns espertos que notando a ignorancia do ser humano viu ali um campo fertil para espandir seus negocios e faturar alto.

Paulo Luiz Mendonça. 

Recentemente, um amigo meu escreveu a seguinte frase em seu blogue "Caminhos da Teologia": "Tudo está em Deus, tanto o bem quanto o mal (...)" - http://caminhosdateologia.blogspot.com/2011/07/crise-das-imagens-de... 


Isto me lembrou uma passagem contida, na literatura judaica pós-bíblica, no Midrash, em que Moisès teria dito a Deus: "Senhor do mundo! Tu deverias fazer desaparecer o instinto do mal do mundo!" Então Deus respondeu ao profeta: "Acaso não fui Eu que criei o instinto do mal? Eu fiz o bem e o mal; Eu misturo nele o homem, o anjo e o animal. Sem o anjo, que seria do animal? Sem o animal, que seria do anjo? Moab nasceu da luxúria, porém Rute nascerá de Moab, e o rei David, de Rute, e de David, o Messias. Quero que o mal exista para que o homem o domine e Me renda culto, pois sentindo o homem vontade de ser perfeito, concedo-lhe o mérito da perfeição." (extraído da Torá traduzida e comentada da editora Sêfer)

 

É uma visão interessante, não acham?

Olá! Paulo.

O mal como um sentimento pernicioso que destrói, que machuca e causa danos é um sentimento que está enraizado na natureza humana e não temos como fugir disso. A malignidade dos sentimentos humanos é fruto de diversos fatores, mas todos eles podem ser revistos e analisados em uma autocrítica positiva afim de controlarmos nossos impulsos. Esse mal que está adormecido em nosso inconsciente pronto para vir á tona virou para os religiosos sinônimo de atuações de "forças satânicas" que segundo eles intervém no livre arbítrio de nossa consciencia. O diabo segundo a bíblia em suas citações encarna todo o mal na terra e é por sua  intervenção que as pessoas realizam atos malígnos, ora o diabo é uma figura mitológica e todas as responsabilidades sobre nossos atos recaem sobre nós mesmos como indivíduos que possuem plena consciencia de suas ações, depende unicamente de nós mesmos policiar pensamentos que levem á atitudes danosas para nós mesmos e para os outros, afinal somos seres racionais. Portanto o mal em si não foi criado, apenas a noção do que é certo e errado é uma invenção de instituições sociais como as lei, e a moral judaico-cristã. Agora como são estabelecidos padrões sobre o que é certo e errado dentro do universo da natureza humana são outros pontos que poderiam ser alvos de discursão em outo forum. Até a próxima Paulo.

Acho que o mal não foi criado por ninguém, mas tem diversas fontes geradoras e é uma coisa difícil de definir corretamente. Certos instintos que temos podem gerar o mal dentro de nós. O que é o ódio, senão uma força maligna? Mas o ódio não se auto criou. Desenvolveu-se. Ele é uma consequência de ações e reações, das atitudes, da disputa pelos bens, do local e da sociedade. Uma pessoa com ódio tende a fazer maldades, praticar coisas negativas. A inveja é outra fonte geradora do mal.

Mas por que a inveja? Esse é outro sentimento consequente, fruto de diferenças de frustrações, de incapacidades, que revoltam, geram o ódio. Quanto mais diferenças, mais consequências geradoras do mal. Como pode um rico abastado viver ao lado de um carente, sem provocar consequências desenvolvedoras do mal? Acredito que a paz, a perfeição no ser humano é impossível! Podemos apenas melhorar isso, evitar o pior.

Na minha criação de coelhos, os machos não podem ficar juntos porque o mais forte acaba matando o mais fraco. Eles disputam território, comida e as fêmeas. Coelhos maus? Não, mas aí está uma demonstração de mal como consequência. Concordo com o Abraão totalmente. Vê? O mal não foi criado por nenhum ser mitológico, mas desenvolvido em nossa mente por razões anteriores. Nós somos os únicos culpados pela nossa maldade.

Mas nós não criamos o mal. Ele se desenvolve sozinho em nosso ser, a partir do momento que damos oportunidade para que isso aconteça. Temos que nos policiar desde as fontes geradoras: Ódio, Inveja, sentimentos de vingança, não aceitar as diferenças, destinos e revolta por não sermos quem gostaríamos de ser. Como os fungos se desenvolvem quando encontram condições adequadas, devemos evitar esse campo fértil para o mal. Assim estaremos livres de fazer maldades. Da mesma forma devemos evitar que o nosso semelhante tenha razões para desenvolver o mal contra nós. Com inteligência e sabedoria conseguimos isso. É só prestar atenção em nossas atitudes.

Abç

Em resumo, você estaria dizendo que nós não criamos o mal, mas sim o cultivamos ao darmos espaço para certos sentimentos negativos como a inveja e o ódio, não?

 

Sobre a profilaxia, penso que devemos desenvolver uma consciência cosmoética quanto à extensão dos nossos atos e aí concordo no uso da inteligência e da sabedoria como bem colocou.

 

Por sua vez, penso que na luta contra o mal cabe falarmos na abolição de infrutíferos sentimentos de culpa, os quais seriam substituídos pela consciência ética e pelo senso de responsabilidade. Logo, se alguém que praticou o mal toma consciência ética, deve tal pessoa ser grata à nova oportunidade que a vida lhe oferece e aí, sem nenhum sentimento de culpa ou de carma, buscar recolher as sementes negativas que plantou.

 

A história da conversão de Zaqueu, contida no Evangelho de Lucas (não vou desperdiçar tempo em debater se foi verdadeira ou fictícia), é um bom exemplo de profilaxia. Ao tomar consciência de seus atos, Zaqueu abandona a vida de corrupção para se dedicar aos pobres e restituir quatro vezes mais às pessoas que havia lhe prejudicado, conforme determinava a lei judaica. Ou seja, o cara não ficou se auto-penitenciando ou sacrificando carneiros no Templo. Simplesmente ele resolveu mudar o rumo de sua vida de maneira graciosa.

 

Acreditem ou não, aquilo que chamo de "graça divina" é a verdadeira profilaxia. Pois é reconhecendo a bondade da Vida que podemos aproveitar a nova chance que a existência nos oferece para mudarmos. É por isso que considero a "salvação" através da "graça".

Alfredo Bernacchi disse:

Acho que o mal não foi criado por ninguém, mas tem diversas fontes geradoras e é uma coisa difícil de definir corretamente. Certos instintos que temos podem gerar o mal dentro de nós. O que é o ódio, senão uma força maligna? Mas o ódio não se auto criou. Desenvolveu-se. Ele é uma consequência de ações e reações, das atitudes, da disputa pelos bens, do local e da sociedade. Uma pessoa com ódio tende a fazer maldades, praticar coisas negativas. A inveja é outra fonte geradora do mal.

Mas por que a inveja? Esse é outro sentimento consequente, fruto de diferenças de frustrações, de incapacidades, que revoltam, geram o ódio. Quanto mais diferenças, mais consequências geradoras do mal. Como pode um rico abastado viver ao lado de um carente, sem provocar consequências desenvolvedoras do mal? Acredito que a paz, a perfeição no ser humano é impossível! Podemos apenas melhorar isso, evitar o pior.

Na minha criação de coelhos, os machos não podem ficar juntos porque o mais forte acaba matando o mais fraco. Eles disputam território, comida e as fêmeas. Coelhos maus? Não, mas aí está uma demonstração de mal como consequência. Concordo com o Abraão totalmente. Vê? O mal não foi criado por nenhum ser mitológico, mas desenvolvido em nossa mente por razões anteriores. Nós somos os únicos culpados pela nossa maldade.

Mas nós não criamos o mal. Ele se desenvolve sozinho em nosso ser, a partir do momento que damos oportunidade para que isso aconteça. Temos que nos policiar desde as fontes geradoras: Ódio, Inveja, sentimentos de vingança, não aceitar as diferenças, destinos e revolta por não sermos quem gostaríamos de ser. Como os fungos se desenvolvem quando encontram condições adequadas, devemos evitar esse campo fértil para o mal. Assim estaremos livres de fazer maldades. Da mesma forma devemos evitar que o nosso semelhante tenha razões para desenvolver o mal contra nós. Com inteligência e sabedoria conseguimos isso. É só prestar atenção em nossas atitudes.

Abç

Responder à discussão

RSS

Sobre

Badge

Carregando...

Leia Isto!

Traduzir para/Translate to:


Visualizações

Se esta é a sua 1ª visita ou se passou por aqui, mas não quis comentar nem publicar nada, assine o nosso livro de visitas!

 

Irreligiosos.ning.com website reputation

Recados Rápidos

 

 

Links Indicados

Sites da Rede DDD: . . . . . . .Logo Rede DDD Acessar links dos sites Baú do Inexplicado Outros:
visit Skeptic.com

Sociedade Racionalista



ComunidadeO Outro Lado das ReligiõesBULE VOADORInternet Infidels Visitar o Observatório
Acessar

GeraLinks

Badges do Irreligiosos

Nosso badge no seu blog:

Link o Irreligiosos


(Clique aqui para saber como!)


Enquete Jesus Cristo


Sua opinião sobre Jesus Cristo:
Acesse o post de apoio;

----------------
Acesse a nossa página PESQ para responder à enquete.

 


Notícias Cristãs

Atençao: As notícias aqui divulgadas não são nossas recomendações e são veiculadas apenas para informar os últimos acontecimentos e eventos do cristianismo.

(Se a exibição falhar, não é culpa nossa e sim do Widget. Não se preocupem, elas voltam depois)


Get Your News Widget

Grupos

Principais Colaboradores

Abaixo, destacamos (em ordem alfabética) a 4ª lista dos nossos agora "12 Mais (tivemos de mudar de 10 para 12, por maior justiça):"

  • Alfredo Bernacchi
  • Assis Utsch
  • Divina J. Scarpim
  • Gilberto Vieira
  • Jorge O. Almeida
  • Luísa L.
  • Márcia Zaros
  • Marilda Oliveira
  • Oiced Mocam
  • Paulo Rosas 
  • Paulo Luiz 
  • Sergio M. Rangel
  • T. P. Sigurd

 

© 2014   Criado por Ivo S. G. Reis.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço